O Boletim - Março/2007 - ANO XLIX - Nº 592

Baixe aqui a versão em PDF

• REFLEXÕES COM BEZERRA
• EDITORIAL
• LIVRO DO MÊS
• MOMENTO DE POESIA
• VULTO DO MÊS
• PÁGINA AO JOVEM
• NO MUNDO DO ESPERANTO
• LEMBRETE FRATERNO
• ATIVIDADES DO CENTRO
• PALAVRAS DE ALAN KARDEC
• NOTÍCIAS
• PENSAMENTOS QUE MERECEM MEDITAÇÃO
•Educação Espírita - Infância - Juventude e Família
  



Bezerra convida-nos à reflexão

FRUTOS  E  SEMENTEIRAS

 

 

 

Estamos, filhos, vendo os primeiros resultados da Campanha de Evangelização Espírita Infanto - Juvenil no torrão brasileiro. Florescerá, por certo, a  Árvore do Evangelho.  Os campos verdes serão cobertos de extensas ramagens.  Hão de surgir os frutos, após as flores. Tempo de crescimento, de floração! Olhos embevecidos, muitos contemplarão a obra divina com o coração tomado de santo respeito. Virão os frutos. Vereis muitas flores e frutos pelo chão. Bom será quando todo o campo oferecer a visão maravilhosa da luz radiante; entretanto, o trabalho é de todos. Os frutos caídos, ó bênção do Céu, voltarão à terra e darão novas germinações.  As flores não se perderão na adubagem do terreno. É acalentador preservarmos a sementeira com os cuidados próprios, todavia, não pranteemos os frutos cobiçados, os galhos decepados.  Novo vigor darão à terra..       
Lembremo-nos de que a sementeira é divina e a promessa do amanhã vitorioso cumprir-se-á, apesar dos esforços negativos. Assim, avancemos para diante, revigorando-nos na energia que mana dos altos sólios, olvidando o mal, não lastimando a fronde bela e altaneira cobrir-se de apodos, mas esperando sempre o renascer do dia para as colheitas abençoadas. Não importa o vento adverso, a tempestade ou a fagulha que destrói; há sempre a flor da Esperança a luz divina do Coração Celeste que abençoa, renova, acerta, restaura, aduba, fortifica.
O trabalho está bem esquematizado, tanto quanto nos permitem as ligações entre os dois planos que estão conjugados na mesma santa e divina labuta.
Sigamos para diante.  Vençamos as dificuldades, estejamos vigilantes em nossos setores de ação, prontos a ratificar, renovar, ajudar. Que nosso Divino Amigo ampare os seareiros de boa - vontade conduzindo-os pelas alamedas floridas do bem, para a vitória do amanhã.

Deus, nosso Pai, renove vossas energias, filhos amados, é a prece constante do amigo de sempre.

   

Bezerra de Menezes

Texto completo no REFORMADOR. FEVEREIRO.1979

         

 

voltar ao topo


 


EDITORIAL

O mês de março reserva algumas datas importantes para o movimento espírita.
   Há 23 anos atrás, após uma vida de exemplos e renúncias, partia Yvone do Amaral Pereira. Em 1882, 14 anos após seu lançamento na França, era publicado, pela primeira vez, em português, A Gênese, de Allan Kardec. Os fenômenos de Hydesville, protagonizados pelas irmãs Fox, nos Estados Unidos, estão completando 159 anos. Há 138 anos, aos 65 anos de idade, desencarnava Allan Kardec, deixando um importante legado para a humanidade.
   Allan Kardec, em sua abrangente missão, deixou-nos um importante legado que não pode ser medido pelos valores terrestres, ele invade as paragens da dimensão espiritual e identifica-se com as promessas do Cristo, segundo João,14:16 – O Consolador prometido. Kardec tinha grande preocupação quanto às possibilidades do Espiritismo e, sabiamente, exortava a todos que se firmassem na educação, no conhecimento e na razão.
    A nossa Casa recebe, todas as semanas, pedidos de ajuda, de orientação e esclarecimentos quanto à doutrina, visto que apesar da era da informação em que vivemos, ainda existe muita ignorância, preconceito e confusão relacionados com as diferentes denominações religiosas que agregam à palavra “Espírita” ou “Espiritismo” .

    Para desfazer dúvidas como essa e muitas outras, existem os cursos abertos a todos os que quiserem se inteirar, aprender ou mesmo relembrar os fatos espiritistas. De nada adianta compreender o papel redentor do Espiritismo, se isso não servir para acrescentarmos valores à nossa vida, vivenciarmos os ensinamentos e procurarmos, através da leitura sistemática, criar um mundo melhor. Vamos procurar uma informação sobre os cursos disponíveis e os horários, as equipes da Casa têm grande boa vontade em preparar todo o material atualizado. Certamente, nós espíritas, não somos obrigados a freqüentar esses cursos; como tudo o mais, somos livres para escolher. Mas, como tudo o mais, somos responsáveis pelo melhor aproveitamento que pudermos dar às nossas vidas.

voltar ao topo


 

MOMENTO DE POESIA

Vamos

Não te detenhas... Crê, ajuda e avança!...
Seja dia brilhante ou noite escura,
Nos momentos de paz ou de amargura,
Busca o Mestre de Luz e da Esperança.

No caminho do bem que não descansa,
Agradece ao trabalho que te apura,
E sigamos, felizes, à procura
Da Imperecível Bem-Aventurança!...

Não repouses na estrada... Segue à frente,
Ontem, hoje, amanhã... Constantemente,
Marcha ao doce clarão que te ilumina...

Jesus é o Sol de Amor que nos espera
Em resplendente e Excelsa primavera
No lar Eterno da União Divina.

Auta de Souza

 ( XAVIER, Francisco Cândido. Auta de Souza )



 

voltar ao topo


 

 

LIVRO DO MÊS

No Mundo Maior

NO MUNDO MAIOR. Pelo Espírito André Luiz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. FEB

Focaliza aspectos da vida no mundo espiritual e do intercâmbio entre desencarnados e encarnados, especialmente durante o repouso do corpo físico, visando a fornecer esclarecimentos sobre o desequilíbrio da vida mental e os respectivos tratamentos aplicados pelos Espíritos Superiores.

AMIGO LEITOR Lembre-se: “O livro edificante é sementeira da Luz Divina, aclarando o passado, orientando o presente e preparando o futuro...”
André Luiz    

    
Instruções Psicofônicas  


voltar ao topo


 

VULTO DO ESPIRITISMO

Amélie  Boudet (síntese biográfica)

 
 

   Amélie-Gabrielle Boudet nasceu em 23 de Novembro de 1795, em Thiais, cidade do menor e mais populoso departamento francês — o Sena.
   Filha de Julien-Louis Boudet e de Julie-Louise Seigneat de Lacombe, que lhe proporcionaram fina educação moral e apurados dotes intelectuais.
   Após cursar o colégio primário, estabeleceu-se em Paris com a  família, ingressando numa Escola Normal, onde diplomou-se em professora de 1ª classe. Foi também professora de Letras e Belas Artes, trazendo de encarnações passadas a tendência inata para a poesia e o desenho. De estatura baixa, de olhos pardos e serenos, gentil, vivaz nos gestos e na palavra, denunciando inteligência admirável, Amélie Boudet, aliando ainda a todos esses predicados um sorriso terno e bondoso, logo se fez notar pelo circunspecto Prof.Rivail, em quem reconheceu, de imediato, um homem verdadeiramente superior, culto, polido e reto.

 

Em 6 de fevereiro de 1832, firmava-se o contrato de casamento. Amélie Boudet tinha 9 anos mais que o prof. Rivail, mas tal era a sua jovialidade física e espiritual, que a olhos vistos aparentava a mesma idade do marido.
  Como esposa compreensiva, resignada e corajosa,  amparava o Prof. Rivail em todos os seus empreendimentos. Colaborou na preparação dos cursos gratuitos que o Prof. Rivail organizou na própria residência e que funcionaram de 1835 a 1840.
  O problema da instrução às crianças e aos jovens tornara-se para o Professor Rivail sempre  digno da maior atenção. Por isso, até mesmo as horas na noite ele as dividia para diferentes misteres relacionados com aquele problema, recebendo em todos a cooperação talentosa e espontânea de sua esposa. Quando, em 1854, o Prof. Rivail foi atraído para os fenômenos espíritas e pôs mãos à maravilhosa obra de Codificação, foi ainda de sua Gabi, então com 60 anos, que ele recebeu todo o apoio moral nesse cometimento. Muito ainda fez essa extraordinária mulher em prol do Espiritismo e de todos quantos lhe pediam um conselho ou uma palavra de consolo. Até que, em 21 de janeiro de 1883, às 5 horas da madrugada, desatou-se dos últimos laços que a prendiam à matéria.  Amélie Boudet era dessas mulheres boas, nobres e puras, e que, despojadas de vaidade, descobrem no casamento missões nobilitantes a serem desempenhadas.

Sem dúvida, nós Espíritas muito devemos a Amélie Boudet.

 

.

voltar ao topo


 

LEMBRETE FRATERNO

Reflexões sobre o mundo de amanhã

 
 

“Eu creio em Deus... Que se revela na harmonia ordenada do Universo.
Eu creio que a inteligência está manifestada em toda a natureza.
A base do trabalho científico é a convicção de que o mundo
é uma entidade ordenada e compreensível e não uma coisa ao acaso.”

Albert Einstein

Em inúmeras oportunidades, o grande físico alemão deixou transparecer a sua visão crítica, quanto ao materialismo que acompanha os homens que fazem  ciência. Sua formação dentro do judaísmo lhe mostrava que havia uma potência divina a ordenar as coisas e sua inteligência privilegiada não o deixava aceitar o acaso na construção dos fenômenos físicos. A religião para ele, era um fato natural e não interferia em suas conclusões, embora, pessoalmente, não praticasse o judaísmo ou qualquer outra confissão religiosa.
Einstein dizia que, diante do Universo que se descortinava ante sua visão de astrofísico, era muito difícil supor que  aquilo tudo não tivesse um significado e, para ele, para o horror de seus contemporâneos,  esse significado era Deus.
A grande dificuldade da ciência sempre foi justificar os fatos estudados, através da essência divina... No final do século XIX e, principalmente, na primeira metade do século XX, nomes surgiram e vieram explicar, de forma magistral e inequívoca, grandes enigmas científicos que retinham o progresso humano.
Max Planck e sua Teoria Quântica, De Broglie e seus estudos sobre as características dos elétrons e a Mecânica Ondulatória, Heisenberg trazendo novas luzes sobre a Mecânica Quântica e o Princípio da Incerteza, Niels Bohr estabelecendo os fundamentos do Modelo Atômico, sem falar em Edmond Bauer, sugerindo que a consciência humana era capaz de influenciar o processo de observação da posição dos elétrons ou Everett e sua Teoria dos Universos Paralelos, até Anton Zeilinger defendendo a idéia de que “nós temos alguma influência naquilo que se torna realidade... Nós temos um papel no universo.”
Todos eles se aproximaram de Deus, mas não tinham religião e não defendiam idéias religiosas, emergiram da idéia simplista do acaso, refutando a possibilidade de que “Deus jogava dados”, conforme Einstein confessou.
Para nós, que temos diante de nossas mentes a lógica irrefutável dos fatos estabelecidos pela codificação kardequiana, fica uma pergunta: Por que, homens tão racionais, cientistas ilustres e, certamente, espíritos com grande tradição científica, têm uma enorme dificuldade em aceitar a presença de Deus em todas a coisas? Não compreendem a essência divina e criadora em tudo o que nos cerca?
É possível que a resposta esteja no entendimento da Lei de Causa e Efeito e no processo reencarnatório.
Esses nomes aqui citados não  poderiam  ser  aqueles que vieram revolucionar o pensamento científico dos séculos XV, XVI, XVII, renovando encarquilhadas teorias que remontavam à antiga Grécia?

Que reconhecimento tiveram Copérnico, Laplace, Galileu, Tycho Brae,  e centenas de outros importantes precursores, senão os inquéritos da inquisição, o repúdio da hierarquia religiosa dominante e, muitas vezes, o suplício na fogueira?
A intolerância, foi o denominador comum a todos os que ousaram apresentar um mundo melhor e anunciar essa conclusão.
Como se pode imaginar o ânimo desses espíritos que voltam, conscientes da importância de sua contribuição à humanidade, tendo que se defrontar com religiões, dogmas, posturas e as intolerâncias de sempre, embora em outro nível ?
Certamente, como Einstein deixou claro, muitos cientistas separaram as imperfeições religiosas da perfeição divina, são elementos que não se misturam, daí especularem sobre “vontades externas”, “força do pensamento”, “energias universais” e outros codinomes, só porque não querem falar em Deus. O horror do passado ainda deve influenciar suas concepções, a reconciliação com Deus é, compreensivelmente, um processo de dentro para fora, é uma reconquista da consciência, já que Deus nunca deles se afastou, dando-lhes, sempre, a oportunidade de exercerem seus talentos em prol de um mundo melhor. A seqüência do progresso é soberana, imutável e, principalmente, não retrocede. Já podemos encontrar hoje em dia, no Brasil, uma geração de médicos, físicos, psicólogos, professores, filósofos, enfim, uma “inteligência” que não quer simplesmente rejeitar a idéia de Deus e sim, discuti-la racionalmente, não à luz de dogmas, mistérios e imposições, mas diante dos fatos e dos conhecimentos que fazem parte do patrimônio cultural da humanidade.

Essa era a expectativa de um professor francês, no século XIX, que estruturou e codificou uma doutrina com três fundamentos: Cientifico, Filosófico e Religioso; pilares sustentados na base da razão e portanto, permanentemente se atualizando na medida em que fatos novos são analisados e aceitos. Assim Kardec postulou o Espiritismo, assim caminhamos na direção do Pai.

Assaruhy Franco de Moraes

voltar ao topo



PÁGINA AO JOVEM

 
   

Meu jovem amigo

Infância, juventude, madureza e velhice são simples fases da experiência material.

A vida é essência divina e a juvenilidade é seiva eterna do espírito imperecível.

Mocidade da alma é condição de todas as criaturas que receberam com a existência o aprendizado sublime, em favor da iluminação de si mesmas e que acolheram no trabalho incessante do Bem o melhor programa de engrandecimento e ascensão da personalidade 

Correio Fraterno. Pelo Espírito André Luiz. p.47

voltar ao topo


 

NO MUNDO DO ESPERANTO

“La paco de Jesuo estu en la koroj de niaj karaj gefratoj”

Uma voz no Deserto

 

José Maia  

 

 

    Na história da humanidade, os pioneiros, em geral, foram e têm sido sempre uma autêntica voz no deserto.  O príncipe Sidarta Gautama, o Buda, não teve a compreensão dos seus familiares, do seu povo, o que só aconteceu muito mais tarde.
     Sócrates, na Grécia, pregava o conhecimento espiritual, as virtudes morais,  e se lhe imputou o crime de lesa juventude, sucumbindo a uma dose de cicuta.
     João Batista, o precursor do Cristo, literalmente clamava ser a voz no deserto dos corações humanos.
     Jesus, o incomparável revolucionário do amor, cuja trajetória dividiu o tempo terreno em duas eras, assim também foi recebido. Somente  o tempo, esse juiz que tudo modifica, se encarregaria de fazer germinar na mente e no coração do  ser humano a semente da compreensão do seu Evangelho de  Amor e Sabedoria...
    ... Copérnico vê-se compelido a negar que a  Terra gira em torno do Sol. Diante da autoridade orgulhosa e ignorante, retrata-se, para não ser tragado pelas chamas ou pela prisão com que pretendiam calar-lhe a voz ousada...
    ...O ser humano, com todas as suas conquistas, todavia, sempre esbarrou num problema: sua comunicação com os semelhantes nascidos em outros países e que falam idiomas diferentes. O problema das línguas, portanto, é um fato que tem retardado a evolução.
     Cada país tem sua língua. Em muitos deles fala-se um mesmo idioma, quando originários de tronco comum. Há, entretanto, diferenças lingüísticas de um país para outro; por exemplo, entre Brasil e Portugal, entre Inglaterra e os Estados Unidos, entre a Espanha e os países hispano-americanos. Um mesmo país pode ter diferenças idiomáticas de modo que um morador do sul não compreenda claramente outro do norte – na Itália é isso uma realidade.
     As línguas nacionais são caracterizadas por construções frasais próprias, por   expressões exclusivas do país, por neologismos, por gírias, por modos específicos de expressão do pensamento. Elas se revestem, portanto, dos hábitos dos seus  usuários, traduzindo formas de pensar, de sentir, de agir. Os defeitos e as qualidades humanas estão enraizados na língua falada e escrita dos habitantes de cada lugar. O país que detém o monopólio lingüístico pode dominar outros que falam o seu idioma.
     Em face dessa dificuldade de assimilação de línguas estrangeiras, aliada ao enorme tempo necessário ao aprendizado têm havido, na história, inúmeras tentativas de criação de idiomas simplificados, artificiais, neutros, auxiliares.

    

Uma dessas tentativas deu certo há mais de um século....

    

Alguns milhões  de pessoas no mundo falam e escrevem essa língua que é de fácil aprendizado. Há famílias em que as crianças, desde meses de idade, já a aprendem com admirável rapidez.   Aliás, essa língua  possui apenas 16 regras, sem  exceções. Quem tiver um pouco de tempo, boa vontade, interesse, em três meses consegue aprendê-la em seus fundamentos e comunicar-se com outras pessoas de qualquer parte do mundo.
     Tal língua já conta com um inumerável rol de livros nela escritos ou para ela  traduzidos.
Sua forma  racional, lógica, clara e bela permite a compreensão de uma porção de coisas até então desconhecidas para o seu novo usuário.
     Seu pioneiro foi um médico polonês que ainda adolescente a apresentou ao mundo.      Embutido na língua, existe um ideal, a “idéia interna”, proclamando a união entre os povos, a compreensão entre os homens, a solidariedade.
     Luiz Lázaro Zamenhof também foi uma voz no deserto.
     O Esperanto é ainda também uma voz no deserto.

     Por isso, triunfará!

(Texto premiado em concurso literário de 1994 – do livro Esperanto, editado pela Sociedade Lorenz)

voltar ao topo


 

PENSAMENTOS QUE MERECEM MEDITAÇÃO

SEMPRE É BOM LEMBRAR

• A morte a ninguém propiciará passaporte gra-tuito para a ventura celeste.
• Nunca promoverá compulsoriamente homens a anjos. Cada criatura transporá essa aduana da eternidade com a exclusiva bagagem do que houver semeado.
• Ninguém gozará de um descanso a que não tenha feito jus, porque o “Reino do Senhor não vem com aparências externas.”

Emmanuel

(Prefácio do livro NO MUNDO MAIOR.  p.11-2)

voltar ao topo



 


 


Palavras de ALLAN KARDEC

A “REVUE SPIRITE”

 

ESPIRITISMO - O CONSOLADOR PROMETIDO

“ O Espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo: preside ao seu advento o Espírito de Verdade. Ela chama os homens à observação da lei; ensina todas as coisas fazendo compreender o que Jesus só disse por parábolas. Advertiu o Cristo: Ouçam os que têm ouvidos para ouvir. O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porquanto fala sem figuras, nem alegoria;  levanta  o véu   intencionalmente lançado sobre certos mistérios. Vem, finalmente, trazer a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, atribuindo causa justa e fim útil a todas as dores.”

Allan Kardec (ESE - VI: 4)

“Senhor Allan Kardec. Só temos que agradecer pela sua missão tão magistralmente cumprida. Hoje todos nós nos felicitamos com a sua obra. Endereçamos ao seu coração amoroso e excelso o preito da nossa gratidão e do nosso amor.”
(SHUBERT, Suely C. Entrevistando Kardec. p.191

voltar ao topo



Educação Espírita

A Educação na visão de Kardec

 

 

      “Falo-vos da educação, não da educação intelectual, mas da educação moral. Não nos referimos, porém, à educação moral pelos livros e sim à que consiste na arte de formar caracteres, à que incute hábitos, porquanto a educação é o conjunto dos hábitos adquiridos. Considerando-se a aluvião de indivíduos que todos os dias são lançados na torrente da população, sem princípios, sem freio e entregues a seus próprios instintos, serão de espantar as conseqüências desastrosas que daí decorrem? Quando essa arte for conhecida, compreendida e praticada, o homem terá no mundo hábitos de ordem e previdência para consigo mesmo e para com os seus, de respeito a tudo o que é respeitável, hábitos que lhe permitirão atravessar menos penosamente os maus dias inevitáveis.” (LE q. 685)


voltar ao topo



NOTÍCIAS

Encontro Regional Espírita de Unificação- EREU- REUNIR VIII.

No dia 01 de abril de 2007 estarão reunidos os 5ºCEU, 12ºCEU, 15ºCEU e 32ºCEU, na Agremiação Espírita Francisco de Paula (Rua dos Araújos 28 - Tijuca) para um trabalho conjunto que tem como tema central:
150 ANOS DE ESPIRITISMO, O CENTRO ESPÍRITA E NÓS.

Evento para a Formação de Trabalhadores e dirigentes de Instituições Espíritas

Cursos - Oficinas no CEERJ : dia 29 de abril - Oficina do Serviço de Atividades Mediúnicas
Local: Rua dos Inválidos 182

 - DO CEBM

Visite a LIVRARIA e a BIBLIOTECA do Centro. Fitas de áudio e vídeo para empréstimo. Procure um dos nossos plantonistas. “Espíritas: amai-vos e instrui-vos.” (Espírito de Verdade)

Visite o nosso site: www.bezerramenezes.org.br. Assim, poderá ter o Centro em seu lar durante 24 horas. Apresente sugestões para que possamos melhor direcioná-lo a você. Cadastre-se para receber O BOLETIM on-line.

O DEPARTAMENTO DE DIVULGAÇÃO dispõe, para empréstimo, de fitas de áudio e vídeo, com temas doutrinários. Possui uma biblioteca com mais de 1100 títulos à sua disposição. Procure um dos nossos plantonistas.
“Com o bom livro, caminhamos na direção do futuro e recebemos da Divina Imortalidade
a nossa gloriosa destinação de filhos da Luz.” (Emmanuel)

As reuniões de Educação Espírita da Infância, Juventude e Família já se iniciaram, aos sábados, de 14:30 às 17:00. As inscrições estão abertas.

• Os GRUPOS DE ESTUDO, em 2007, início em março. Você já se inscreveu?

Consulte a programação dos estudos doutrinários. Sua presença às reuniões é aguardada com alegria.

Prezado irmão associado: Coopere com nossa Casa mantendo em dia suas mensalidades. Delas dependem nossas tarefas assistenciais e de manutenção dos prédios.

• PARTICIPE E DIVULGUE! CAMPANHAS:
   ° NOVOS ASSOCIADOS
- Para concretizarmos os novos projetos, precisamos aumentar o quadro de associados cooperadores, corações generosos que se unam a nós, participando das despesas de manutenção e conser-vação dos prédios. “Ajudar é honra que nos compete.” Contamos com você.
   ° Leite, feijão (dezembro, janeiro e fevereiro) e outros alimentos não perecíveis.
   ° Opala para enxoval dos bebês.
   ° Projeto de Adequação do Auditório - Campanha para Troca do Piso Contamos com a sua colaboração. Informações na Secretaria. Verifique a melhor maneira de ajudar. Contamos com a sua colaboração.

 


 
   

 

voltar ao topo


 

ATIVIDADES DO CENTRO

18:50/20:15 – Reunião de Estudo e Educação da Mediunidade ( privativa)
18:30/20:00 – Reunião de Atendimento  Espiritual (privativa)
...............................................................................................

13:45/15:00 – Reunião de Atendimento Espiritual (privativa)
14:30/15:00 – Diálogo Fraterno
15:00/16:30 – Reunião de Estudos Doutrinários (pública)
16:30/17:00 – Diálogo Fraterno
16:30/18:00 – Grupo de Estudo: Introdução à Doutrina Espírita * O Livro dos Espíritos
                    – Grupo de Estudo: * O Livro dos Médiuns
...............................................................................................

08:00/08:30 – Encontro de Oração
08:30/09:00 –  Diálogo Fraterno 
15:00/17:00 – Artesanato
19:00/20:30 – Grupos de Estudo

  • Introdução à Doutrina Espírita
  • Básicos da Mediunidade
  • Estudos do Evangelho
...............................................................................................

15:00/16:30   –  Estudo  da Doutrina Espírita em Esperanto
16:30/18:00   –  Esperanto: Curso Básico
18:30/19:00   –  Diálogo Fraterno
19:00/20:30   –  Reunião  de Estudos Doutrinários (pública)
...............................................................................................

08:00/08:30  - Encontro de Oração
18:45/20:00 - Reunião de Atendimento à Distância (privativa)
.................................................................................................

15:00/17:00 - Educação Espírita da Infância
15:00/17:00 - Educação Espírita da Juventude
15:00/17:00 - Educação Espírita da Família
15:00/17:00 - Grupo de Estudos Espíritas
17:30/19:30 - Grupo de Estudos Espíritas
.................................................................................................

10:00/11:30 - Reunião de Estudos Doutrinários (pública)
13:45/16:30 - Caravana - Visita ao Instituto Miguel Pedro ( mensal - no 3º domingo)
13:00/18:00 - Caravana - Visita ao Centro Espírita Filhos de Deus ( mensal - no 4º domingo)

 

voltar ao topo



 

Centro Espírita Bezerra de Menezes © 1912 - 2007. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rafael Santos