O Boletim - Agosto/2006 - ANO XLVIII - Nº 585

Baixe aqui a versão em PDF

• REFLEXÕES COM BEZERRA
• EDITORIAL
• LIVRO DO MÊS
• MOMENTO DE POESIA
• VULTO DO MÊS
• PÁGINA AO JOVEM
• NO MUNDO DO ESPERANTO
• LEMBRETE FRATERNO
• ATIVIDADES DO CENTRO
• PALAVRAS DE ALAN KARDEC
• NOTÍCIAS
• PENSAMENTOS QUE MERECEM MEDITAÇÃO
  



Bezerra convida-nos à reflexão

EXTINÇÃO DO MAL

 

 

 

Na didática de Deus, o  mal  não é  recebido  com a ênfase que caracteriza muita gente na Terra, quando se propõe a combatê-lo. 
      Por isso, a condenação não entra em linha de conta nas manifestações da Misericórdia Divina. 
      Nada de anátemas, gritos, baldões ou pragas. 
     A Lei de Deus determina, em qualquer parte, seja o mal destruído não pela violência, mas pela força pacífica e edificante do bem. 
      A propósito, meditemos. 
      O Senhor corrige: 
          • a ignorância: com a instrução; 
         • o ódio: com o amor; 
         • a necessidade: com o socorro; 
         • o desequilíbrio: com o reajuste; 
         • a ferida: com o bálsamo; 
         • a dor: com o sedativo; 
         • a doença: com o remédio; 
         • a sombra: com a luz; 
         • a fome: com o alimento; 
         • o fogo: com a água; 
         • a ofensa: com o perdão; 
         • o desânimo: com a esperança; 
         • a maldição: com a benção. 
      Somente nós,  as  criaturas  humanas,  por  vezes, acreditamos que um  golpe  seja capaz de sanar outro golpe. 
       Simples ilusão. 
       O mal não suprime o mal. 
       Em razão disso, Jesus nos  recomenda  amar  os inimigos e nos adverte de que a única energia suscetível de remover o mal e extingui-lo  é e será  sempre a força suprema do bem.

Bezerra de Menezes

XAVIEr, Francisco Cândido; BACCELLI, Carlos A. Brilhe Vossa Luz.

voltar ao topo


 


EDITORIAL

Recentemente, um grupo de companheiros esteve analisando alguns aspectos da obra de Kardec e um dos pontos ressaltados, foi o fato do Mestre Lionês não ter nomeado formalmente um sucessor.
A forma como a Doutrina foi estruturada, previa que a união de todos deveria ocorrer em torno dos ensinamentos e, quem os seguisse, estaria recebendo a inspiração para prosseguir sem a mão central a tudo controlar. Sábia decisão, pois quando o Codificador retornou à sua morada espiritual, ninguém precisou aspirar pelo seu lugar ou reivindicar sua liderança, todos sabiam o que fazer e...foi feito.
Reduzindo a amplitude da análise, entendemos que assim também deve ser na Casa Espírita, onde a responsabilidade é de todos e cada um precisa conhecer e decidir sobre a sua área de atuação.
É claro que as diretrizes gerais devem emanar do Presidente e resultar do consenso de sua Diretoria, mas uma vez que elas existam, todos podem e devem segui-las, desonerando a presidência de encargos evitáveis... O exercício da liderança não pode ser confundido com centralização. Liderança é a orientação democrática onde a convergência deve ser para o ideal comum e para a harmonização de uma conduta ética e responsável. Centralização é a negação ao incentivo pela formação de equipe e a gestão consciente.
Toda Casa Espírita tem seu regulamento, mas quantos o conhecem? E dentre os que conhecem, quantos o interpretam adequadamente? Kardec nos pede que estudemos e cresçamos como pessoas, não que adormeçamos no sono da acomodação.
Assim é também na Casa de Bezerra, estamos sempre abertos para novos trabalhadores, empreendedores doutrinários que enriqueçam o nosso grupo com seu labor e sua presença. É claro que os postulados de Kardec são o limite de trabalho, mas ele mesmo disse que a última palavra ainda não havia sido dada, que o Espiritismo era livre para crescer e evoluir.

É nessa hora que nos lembramos de Marcos, 4: 29 :   “Quando o fruto está maduro, imediatamente se lhe lança a foice, porque a colheita chegou.”

voltar ao topo


 

MOMENTO DE POESIA

PROGRAMA

Se queres sair da noite
Para a luz do amanhecer,
Por mais triste, por mais rude,
Atende ao próprio dever.

Se aspiras à paz divina,
A nossa estrada real
É o culto do bem constante
No olvido de todo o mal.

Se pretendes respirar
Os dons da eterna alegria,
Ajuda, perdoa e serve
Na bênção de cada dia.

Se desejas atingir
O Lar do Celeste Amor,
Usa a bondade incessante
Com quem for, seja onde for.

Se sonhas felicidade,
Segue amando a própria cruz,
Que a nossa cruz é  caminho

Para a ascensão com Jesus.

Casimiro  Cunha

XAVIER, Francisco C. Correio Fraterno. Autores Diversos. Rio de Janeiro, RJ: FEB, p. 83

   

voltar ao topo


 

 

LIVRO DO MÊS

Tormentas da Obsessão

FRANCO, Divaldo P. Tormentos da Obsessão. Pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda. 4.ed. Salvador, BA: LEAL, 2001.

A obra reúne experiências vividas pelo autor no Hospital Esperança, erguido por Eurípedes Barsanulfo para recolher pacientes que foram espiritistas fracassados. O livro é mais um brado de alerta aos companheiros para que não se descuidem dos deveres que lhes dizem respeito em relação a Deus, ao próximo e a si mesmos. Esclarece-nos o autor que a crença é muito importante, mas a vivência dos postulados exarados na Codificação tem regime de urgência e não pode nem deve ser postergado.

AMIGO LEITOR Lembre-se: “O livro edificante é sementeira da Luz Divina, aclarando o passado, orientando o presente e preparando o futuro...”
André Luiz    

    
Instruções Psicofônicas  


voltar ao topo


 

VULTO DO ESPIRITISMO

Carlos Juliano Torres Pastorino

 
 

Nascido em 4 de novembro de 1910 e desencarnado em Brasília - DF - em 13 de junho de 1980. Filho de José Pastorino e Eugênia Torres Pastorino. Desde criança demonstrou inteligência e vocação para a vida eclesiástica. Com apenas 14 anos de idade, em 1924, recebeu os diplomas de Geografia, Corografia e Cosmografia, do Colégio Pedro II e, logo em seguida, o diploma de Bacharel em Português, no mesmo colégio. Viajou para Roma a fim de cursar o Seminário, onde, em 1929, foi diplomado pelo Cardeal Basilio Pompili, para a Ordem Menor de Tonsura. Foi ordenado sacerdote em 1934. Abandonou a vida eclesiástica da Igreja Católica Romana, em 1937 por ter se decepcionado ante a "recusa" de Pio XII em receber o Mahatma Gandhi com seu habitual traje branco.

 


Regressou ao Brasil, ingressando no Instituto Ítalo-Brasileiro de Alta Cultura, como professor de Latim e Grego. Foi também professor de Espanhol. Exercia atividades jornalísticas, como correspondente dos Diários Associados. Foi Adido Cultural e Jornalístico da Academia Brasileira de Belas Artes. Sócio de inúmeras Sociedades Esperantistas, no Brasil e no exterior. Delegado especializado (Faka Delegito) da Universidade Esperanto Asocio, com sede na Holanda. Foi fundador da Sociedade Brasileira de Esperanto, no Rio de Janeiro. No dia 31 de maio de 1950, terminava a leitura de O Livro dos Espíritos, que recebera por empréstimo de um colega do Colégio Pedro II. Nesse dia declarou-se espírita, data que guardava com muito carinho. Passou a freqüentar o Centro Espírita Júlio César, no Grajaú, o qual foi sua escola inicial de Espiritismo. No dia 8 de janeiro de 1951, com um grupo de companheiros, fundava o Grupo Espírita Boa Vontade, posteriormente mudado para Grupo de Estudos Spiritus que, com a ajuda de Jaime Rolemberg de Lima, deu origem ao Lar Fabiano de Cristo, a CAPEMI e o boletim SEI (Serviço Espírita de Informação). Fundou a Livraria e Editora Sabedoria e a revista com o mesmo nome. Realizou muitas palestras no Rio de Janeiro e em vários Estados. De sua bibliografia espírita, destacam-se Minutos de Sabedoria e Sabedoria do Evangelho, publicado em fascículos na revista Sabedoria, e Técnicas da Mediunidade. Compôs 31 peças musicais para piano, orquestra, quarteto de cordas e polifonia a três e quatro vozes.
Homem de ação, infatigável, Pastorino, após sua desencarnação, não silenciou; prosseguiu mandando-nos páginas belíssimas do Além, mensagens psicografadas por Médiuns conhecidos, como Carlos A. Baccelli e Divaldo Pereira Franco.

Eis aí, e aqui, Carlos Pastorino mais vivo que nunca, ensinando, pregando, escrevendo: a morte é vida!

 

(Texto completo em Expoentes da Codificação Espírita. Curitiba, PR: Federação Espírita do Paraná, 2002. p.169 - 171).

voltar ao topo


 

LEMBRETE FRATERNO

Reflexões sobre a Misericórdia

 
 

“Bem aventurados os que são misericordiosos,
porque obterão misericórdia.”
Mateus. 5:7

A nossa vida pode ser visualizada como um processo de causa e efeito.
Diante disso, ninguém é impune, ninguém, por mais pretensioso que seja o juízo de se julgar livre de responder por seus atos, consegue escapar de sua consciência, embora tenha a ilusão de que enganou a justiça.
Lembro-me de uma reunião para assistência a Espíritos necessitados, onde um sofredor chegou, perplexo, diante da constatação de que outros estavam sabendo de um ato anti-social que ele cometera na vida material.
Era um espanto maior, porque também constatava que continuava vivo apesar do grave acidente de que fora vítima...
Em sua vida material, livrara-se de uma pessoa que atrapalhava seus planos e não aceitava discutir o fato naquele local, diante de outras pessoas, afinal, aquilo era um tribunal? Seu espanto transformou-se em desespero, quando percebeu a presença de sua vítima, não conseguia entender o que estava acontecendo, será que a vida continuava? Será que sua expectativa de impunidade era falsa?
Sua vítima aproximou-se e, simplesmente, disse que o mal que ela sofrera não se comparava com o que ele estava passando e por isso, o perdoava.
Foi um ato misericordioso.
A misericórdia é tão importante, que mereceu destaque num documento fundamental da Cristandade: O Sermão da Montanha
O que aquela vítima esclarecida fez, foi exercer um dos primeiros atributos da misericórdia, que é o perdão Só assim é que se torna possível a abertura do grande caminho que nos leva a Deus. É nesse momento que  cruzamos a porta estreita e saímos do conforto da porta larga.
A misericórdia, é uma virtude e pode ser entendida como a conduta racional dos ponderados, é o hábito rotineiro do homem de bem, cujo perfil Kardec demonstrou no item 3, Capítulo XVII do Evangelho Segundo o Espiritismo.
Aristóteles nos ensina que a virtude ocupa a média entre duas extremidades, é o conhecido “Caminho do Meio” do Budismo e também a síntese da saudação que o Islã faz a Alá ao chamá-lo Clemente e Misericordioso, no inicio de cada Sura no Alcorão.
A misericórdia como virtude, tanto está no Sermão da Montanha, como no Alcorão ou nos textos budistas e teosóficos. A misericórdia está implícita na necessidade humana de ser melhor.

A brandura, o pacifismo, o esquecimento das ofensas, a incondicionalidade, o não julgamento, esses atributos da misericórdia também são contemplados em todas as correntes religiosas, procedendo ao perdão.
Não foi por outro motivo que Jesus, ao responder a Pedro, enfatizou que é preciso perdoar, não apenas sete vezes mas setenta vezes sete, ao irmão que pecar contra nós.

Assaruhy Franco de Moraes

voltar ao topo



PÁGINA AO JOVEM

 
   

União - Humildade - Caridade

“Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que de coração puro, invocam o Senhor.”
(Paulo- II Tim., 2:22).

Não é, comumente, um comportamento fácil atender ao aconselhamento de Paulo de Tarso, dirigido ao jovem Timóteo, nos portentosos dias do Cristianismo nascente. Sim, é urgente propor ao jovem uma parada na excitação cotidiana, que tantas vezes o levam ao sofrimento, a fim de indagar-se a si mesmo.
Por que estou no mundo exatamente hoje? O que o Criador pretende da minha trajetória humana? Que tipo de anseios explodem em minha intimidade? O que desejo para a própria existência? O que desejo é o melhor para mim e para os outros? Que direitos tenho sobre a minha vida e a de terceiros? Posso fazer tudo o quanto penso e quero? Quais compromissos sinto ter trazido para essa vida? Que propostas religiosas devo procurar para meu esclarecimento espiritual? De que elementos me instrumentarei para atender a minha missão planetária?

É preciso que o jovem tenha objetivos felizes para o existir, para que dê valor aos seus dias de lutas humanas, conforme indica a epístola que Paulo enviou a Timóteo. E nesses tempos de agora, a Doutrina Espírita, devidamente estudada e vivamente entendida, mostra-se apta a explicar ao Espírito, na quadra da sua juventude, essa imensa soma de porquês, permitindo a cada um analisar as condições de sua vida, responsabilizando-se, com maturidade e clareza, por todos os seus atos na estrada da existência.

  

 (Texto completo em : ALBUQUERQUE, Ivan de. Caminhos para o Amor e a Paz. Psicografia de J. Raul Teixeira. Niterói, RJ: Fráter. 2006. p. 17-21)

CARIDADE com os outros é dar o que retemos. CARIDADE conosco é dar de nós. (Emmanuel)

 

voltar ao topo


 

NO MUNDO DO ESPERANTO

“La paco de Jesuo estu en la koroj de niaj karaj gefratoj”

ESPERANTO EM PAUTA

     Trechos de mensagem recebida  pelo médium Divaldo Pereira Franco, em  30/ 01/78,
em reunião na Mansão do Caminho, em Salvador, destinada ao presidente da FEB ali presente.
Transcrita de Reformador, maio de 1978, FEB.

 

 

 

 

“Mudam-se as circunstâncias – o Espírito no corpo ou fora dele –  enquanto permanecem os compromissos assumidos aguardando regularização.
     Companheiros de inúmeras vilegiaturas, reencontramo-nos na última encarnação abraçando o dever de divulgar o pensamento do Cristo, conforme as luzes da Revelação  Kardequiana, militando na abençoada Casa de Ismael...
     Emocionados com o apelo – “Deus, Cristo e Caridade” – inscrito nobremente na sua bandeira de paz, nela nos engajamos com alma e coração, revinculando-nos  a Jesus com diligência e abnegação.
     Você prossegue no corpo, preservando a pureza dos nossos ideais, lutando por manter a unidade doutrinária empenhado vivamente na tarefa do Livro Espírita – esse sublime facho de luz!...
    Nós outros, liberados da névoa material e reconhecendo o pouco realizado, prosseguimos engajados, graças à misericórdia do Senhor, no luminoso serviço do Esperanto, do Evangelho e do Espiritismo.     Acompanhando o seu esforço sacrificial até à exaustão, venho, em nome dos nossos irmãos espíritas-esperantistas do lado de cá, agradecer-lhe o labor na divulgação da Língua Internacional, o idioma da humanidade futura.
     Sabemos que a transitória barreira das línguas ruirá, cedendo lugar a um só idioma entre os homens irmãos, não obstante a preservação de cada língua como cultura, tradição e história.... Não mais as criaturas se desentendendo em face das dificuldades lingüísticas. À medida que o amor se apossar dos corações humanos, trabalhando pelo entendimento fraternal, mais imperiosa se fará a necessidade do conhecimento do Esperanto...
     Reencarnando em 1859, nos fulgurantes dias da Codificação Kardequiana, Lázaro Luiz Zamenhof era colocado no quadro dos apóstolos que se encarregariam de mudar a feição panorâmica do pensamento histórico em termos de fraternidade, união e amor universais... Quando, antes dos trinta anos, apresenta as dezesseis regras da gramática revolucionária, o mundo acompanha, surpreso, a inesperada mudança do comportamento nacionalista estreito, para a abertura do entendimento entre os povos, as nações, sem limites nem paixões...

Os pessimistas previram o desaparecimento do Esperanto em breve tempo, todavia, em 1904, realizaram-se as reuniões prévias do Primeiro Congresso Universal, levado a efeito no ano seguinte (Boulogne-Sur-Mer), iniciando-se, no Brasil, a sua divulgação sistematizada e consciente pouco tempo depois...

Hoje o Esperanto é uma realidade em dezenas de nações, élan abençoado entre os povos, ideal vitalizador em milhões de homens que se tornaram, graças a ele, verdadeiros irmãos.
     Graças a Deus, a Casa de Ismael desfraldou, pioneira, a bandeira do Esperantismo, enviando ao mundo sofrido a mensagem libertadora, na linguagem da comunhão universal..

         Prossiga, meu amigo, de ânimo robusto e mente
tranqüila. O nosso é o prêmio da consciência reta e da certeza de fazermos o melhor ao nosso alcance.  Nossos amigos Wantuil, Porto Carreiro, Abel Gomes, Lorenz, Estevina Magalhães, Irthes Terezinha e outros mais, ao nosso lado, jubilosos, envolvendo-o em ternura e gratidão, rogam ao Senhor abençoá-lo no ministério da divulgação do Evangelho, Espiritismo e Esperanto e, muito devotado, sou o amigo e samideano de sempre.

Ismael Gomes Braga  

Colaboração de Maria Ramos Williams

voltar ao topo


 

PENSAMENTOS QUE MERECEM MEDITAÇÃO

SEMPRE É BOM LEMBRAR

  • Se procuras materializar o espírito, espiritualiza a matéria.
  • Se pretendes encontrar a luz, foge à sombra.
  • Se buscas verdadeiramente o bem, evita o mal.
  • Se aspiras à integração com a verdade, abstém-te da fantasia.
  • Se julgas o privilégio desagradável nos outros, não reclames prerrogativas ao teu círculo pessoal.
  • Se esperas realização nobre, não olvides o trabalho incessante, a persistência no bem, o estudo edificante, a sementeira benéfica e o serviço desinteressado aos semelhantes.
  • Se buscas a bênção consoladora na Doutrina dos Espíritos, sob a inspiração de Jesus, traze com alegria o Espiritismo por fora, mas não te esqueças de conservar o Evangelho por dentro.

André Luiz    

(Relicário de Luz. P.103-4 - trechos)

voltar ao topo



 

   

voltar ao topo



 


Palavras de ALLAN KARDEC

ENTREVISTANDO ALLAN KARDEC

 

EGOÍSMO  E  EDUCAÇÃO

Pergunta: Neste início do 3º Milênio podemos notar que a Humanidade está ainda muito atrasada, o egoísmo prevalece dificultando a marcha do progresso e dando campo à violência. Haverá cura para tal situação?

“Poderá ser longa a cura, porque numerosas são as causas, mas não é impossível. Contudo, ela só se obterá se o mal for atacado em sua raiz, isto é, pela educação, não por essa educação que tende a fazer homens instruídos, mas pela que tende a fazer homens de bem. A educação, convenientemente entendida, constitui a chave do progresso moral. Quando se conhecer a arte de manejar os caracteres, como se conhece a de manejar as inteligências, conseguir-se-á corrigi-los, do mesmo modo que se aprumam plantas novas.”  ( LE- questão 917 )

( SHUBERT, Suely Caldas. Entrevistando  Allan Kardec. Rio de Janeiro: FEB. 2004. p. 77 )

voltar ao topo



NOTÍCIAS

CAMPANHA BRASIL SEM ABORTO

A Plenária Nacional dos Movimentos em Defesa da Vida – Contra o Aborto, realizada no dia 12 de julho de 2006, na Câmara dos Deputados, em Brasília, e promovida pela Frente Parlamentar em Defesa da Vida – Contra o Aborto, aprovou um “Manifesto à Nação”, e o lema da Campanha Brasil sem Aborto: “Por um Parlamento em Defesa da Vida” e o slogan: “Decida-se pela Vida – Vote em Candidatos que são contra a legalização do Aborto”.             Boletim FEB - 26/07/06

 - DO CEBM

• Visite o nosso site: www.bezerramenezes.org.br. Assim, poderá ter o Centro em seu lar durante 24 horas. Apresente sugestões para que possamos melhor direcioná-lo a você. Cadastre-se para receber O BOLETIM on-line.

• O DEPARTAMENTO DE DIVULGAÇÃO dispõe, para empréstimo, de fitas de áudio e vídeo, com temas doutrinários. Possui uma biblioteca com mais de 1100 títulos à sua disposição. Procure um dos nossos plantonistas.
“Com o bom livro, caminhamos na direção do futuro e recebemos da Divina Imortalidade
a nossa gloriosa destinação de filhos da Luz.” (Emmanuel)

• As reuniões de Educação Espírita da Infância, Juventude e Família já se iniciaram, aos sábados, de 14:30 às 17:00. As inscrições estão abertas.

• Inscreva-se nos Grupos de Estudo que o Centro oferece. Informe-se na Secretaria.

• Consulte a programação dos estudos doutrinários. Sua presença às reuniões é aguardada com alegria.

• Prezado irmão associado: Coopere com nossa Casa mantendo em dia suas mensalidades. Delas dependem nossas tarefas assistenciais e de manutenção dos prédios.

• CAMPANHA DE NOVOS ASSOCIADOS - Para concretizarmos os novos projetos, precisamos aumentar o quadro de associados cooperadores, corações generosos que se unam a nós, participando das despesas de manutenção e conser-vação dos prédios. “Ajudar é honra que nos compete.” Contamos com você.


 
   

 

voltar ao topo


 

ATIVIDADES DO CENTRO

18:50/20:15 – Reunião de Estudo e Educação da Mediunidade ( privativa)
18:30/20:00 – Reunião de Atendimento  Espiritual (privativa)
...............................................................................................

13:45/15:00 – Reunião de Atendimento Espiritual (privativa)
14:30/15:00 – Diálogo Fraterno
15:00/16:30 – Reunião de Estudos Doutrinários (pública)
16:30/17:00 – Diálogo Fraterno
16:30/18:00 – Grupo de Estudo: Introdução à Doutrina Espírita * O Livro dos Espíritos
                    – Grupo de Estudo: * O Livro dos Médiuns
...............................................................................................

08:00/08:30 – Encontro de Oração
08:30/09:00 –  Diálogo Fraterno 
15:00/17:00 – Artesanato
19:00/20:30 – Grupos de Estudo

  • Introdução à Doutrina Espírita
  • Básicos da Mediunidade
  • Estudos do Evangelho
...............................................................................................

15:00/16:30   –  Estudo  da Doutrina Espírita em Esperanto
16:30/18:00   –  Esperanto: Curso Básico
18:30/19:00   –  Diálogo Fraterno
19:00/20:30   –  Reunião  de Estudos Doutrinários (pública)
...............................................................................................

08:00/08:30  - Encontro de Oração
18:45/20:00 - Reunião de Atendimento à Distância (privativa)
.................................................................................................

15:00/17:00 - Educação Espírita da Infância
15:00/17:00 - Educação Espírita da Juventude
15:00/17:00 - Educação Espírita da Família
15:00/17:00 - Grupo de Estudos Espíritas
17:30/19:30 - Grupo de Estudos Espíritas
.................................................................................................

10:00/11:30 - Reunião de Estudos Doutrinários (pública)
13:45/16:30 - Caravana - Visita ao Instituto Miguel Pedro ( mensal - no 3º domingo)
13:00/18:00 - Caravana - Visita ao Centro Espírita Filhos de Deus ( mensal - no 4º domingo)

 

voltar ao topo



 

Centro Espírita Bezerra de Menezes © 1912 - 2006. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rafael Santos