O Boletim - Abril/2006 - ANO XLVIII - Nº 581


• REFLEXÕES COM BEZERRA
• EDITORIAL
• LIVRO DO MÊS
• MOMENTO DE POESIA
• VULTO DO MÊS
• PÁGINA AO JOVEM
• RÁDIO RIO DE JANEIRO
• UNIFICAÇÃO DO MOVIMENTO  ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
• NO MUNDO DO ESPERANTO
• LEMBRETE FRATERNO
• ATIVIDADES DO CENTRO
• PALAVRAS DE ALAN KARDEC
• NOTÍCIAS
• FRASES QUE MERECEM MEDITAÇÃO
  



Bezerra convida-nos à reflexão

CAMINHO DO PROGRESSO ESPIRITUAL

 

 

 

(...) Onde a criatura coloque suas aspirações, aí encontra intercâmbio. O homem é o somatório dos seus anelos e realizações. Enquanto não elabore mais altas necessidades íntimas, demorar-se-á nas permutas grosseiras da faixa dos instintos primários. Em razão disso, a Humanidade padece de carências urgentes nas áreas rudimentares da vida... Deixando-se martirizar pelos desejos inconfessáveis, ainda não se resolveu por uma conduta, realmente emocional, que lhe permita o trabalho íntimo de desembaraçar-se das sensações que respondem pelos interesses grosseiros, geradores das lutas pela posse com a predominância do egoísmo.
A fixação das paisagens sombrias desacostuma a percepção estética para as visões harmônicas da Natureza. Da mesma forma, experimentando o homem as impressões do prazer selvagem, desinteressa-se da aquisição dos valores estéticos e liberativos da alma. A transposição de planos e aspirações, enquanto se está na área da sofreguidão e do exagero carnal, somente ocorre a pesado tributo de dor e a fortes aguilhoadas da aflição.
Toda ascensão exige a colaboração do sacrifício, ao lado das renúncias. A visão dos amplos horizontes coloridos somente é lograda após a vitória sobre as baixadas sombrias e as veredas tortuosas.
O fatalismo da vida é para o bem e a destinação é para a felicidade. Consegui-los ao impulso do amor ou conquistá-los a penas de sofrimentos são as escolhas únicas que se terão para fazer.
Até agora a conquista do belo e a liberação dos vícios têm sido desafios para os Espíritos fortes, que marcham à frente, despertando os da retaguarda, anestesiados na ilusão e agrilhoados aos prazeres aliciantes, venenosos.

Não nos cabe, todavia, duvidar da vitória do amor e do êxito que todos conseguirão hoje ou mais tarde. Auxiliá-los a desvencilhar-se das fortes amarras que os infelicitam e convidá-los à experiência da renovação constituem os nossos deveres de agora. Em conseqüência, o nosso céu tem seus limites nas aberturas dos sofredores à vida, ensejando-nos ampliá-lo ao infinito, no qual eles também desfrutem de esperança e paz.

Bezerra

MENEZES, Bezerra de.  De Bezerra de Menezes Para Você. Psicografia de Divaldo P. Franco. Coletânea organizada por Washington Luiz Nogueira Fernandes. Votuporanga, SP: Casa Editora Espírita Pierre-Paul Didier. 2004. p. 138-9
* Título da  mensagem criado pelo organizador da coletânea.

voltar ao topo


 


EDITORIAL

No mês de abril o movimento espírita comemora algumas datas significativas.
No dia 18, em 1857, Allan Kardec publica o Livro dos Espíritos, marco inicial da grande jornada por um mundo melhor.
No dia 29, em 1864, foi publicado o livro que mostrou os princípios que norteiam a regeneração moral do homem: O Evangelho Segundo o Espiritismo.
No dia 30, em 1856, um ano antes da publicação do Livro dos Espíritos, o Prof. Rivail era informado, pela espiritualidade, sobre a importância de sua missão e seu papel nos propósitos do Pai.
Também aqui em nossa Casa de Bezerra, o mês de abril é muito importante, porque continuamos com o mesmo entusiasmo, com a mesma esperança por um mundo melhor e, principalmente, com os mesmos braços abertos para receber os amigos e companheiros de ideal.
Quando percebemos que, em apenas um ano, o Prof. Rivail consolidou os princípios doutrinários que norteiam o Espiritismo e estabeleceu as bases para que os homens pudessem reviver os princípios cristãos, podemos pedir a todos que se esforcem no aprendizado de nossa doutrina... Não esperamos que em um ano, todos estejam nivelados ao Mestre Lionês, nem pretendemos isso, mas se, em um ano, estivermos um pouco mais esclarecidos, refletindo sobre nossa vida e nossos rumos, realizando uma viagem até nosso interior, procurando melhorar, buscando soluções e comparando...
O Prof. Rivail, ao transformar-se em Allan Kardec, não fez apenas uma mudança de nome e uma homenagem a uma antiga personalidade que teve. Ele moldou um novo homem e exemplificou para ensinar como fazer isso, esclarecendo que qualquer um pode fazê-lo, conforme mostra O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XVII – Sede Perfeitos – item 3: “O Homem de Bem”.

Portanto, vamos estudar, vamos conhecer a magistral obra de Kardec, vamos nos informar dos recursos que nossa Casa disponibiliza, para que possamos entender a libertação que o Espiritismo oferece.

voltar ao topo


 

MOMENTO DE POESIA

SÚPLICA  DE  FÉ

Senhor! Agora é nova Madrugada,
Em que o Evangelho esplende em luz intensa,
Vencendo a noite fria triste e densa,
Em que a vida estertora, malograda!...

Dá-nos serviço e amor nesta alvorada,
Para forjarmos, em ações a crença,
Perdoando agressão, maldade e ofensa,
Em união fraterna, afervorada!

Ajuda-nos descobrir sem conforto,
Aquele que padece, quase morto,
Sem um irmão que o ajude na amargura.

E revivendo os “Homens do Caminho”
Transformemos a Terra em Santo Ninho,

Por ti - Com fé cristã, robusta e pura.

Auta de Souza

Fonte: BATISTA, Maria Anita Rosas. O Jovem que escolheu o Amor. São Paulo, SP: Casa Editora Espírita Pierre-Paul Didier, 1997. p.109.   Soneto psicografado por Divaldo Pereira Franco em 15 de abril de 1977.

   

voltar ao topo


 

 

LIVRO DO MÊS

ENFOQUES DOUTRINÁRIOS.

CAMARGO, Jason de. EDUCAÇÃO DOS SENTIMENTOS. 6.ed. Porto Alegre, RS: Livraria e Editora Francisco Spinelli - FERGS. 2001

Extraímos as palavras do autor, constantes da Introdução da obra: “Será imprescindível fazer compreender que todos nós somos portadores de virtudes adormecidas, de sentimentos nobres que necessitam florescer para dar colorido e perfume às nossas vidas. É preciso educar nossos sentimentos, substituir os velhos hábitos encarquilhados, preencher em nosso psiquismo os espaços vazios de nossos instintos e imperfeições, trocá-los pelas novas atitudes, por comportamentos renovados, embasados no bem e no auto-conhecimento.”

AMIGO LEITOR Esta obra é um convite para que sejam despertados os sentimentos da alma para que você seja um espírito renovado e educado, pela graça e amor sublime de Deus.

 


voltar ao topo


 

VULTO DO ESPIRITISMO

CLÓVIS   TAVARES

 
 

 

 

Chamava-se Sebastião Clóvis Tavares, porém, ficou conhecido apenas por Clóvis Tavares. Era natural de São Sebastião, no Município de Campos, RJ, onde nasceu a 20 de janeiro de 1915.
Sua família mudou-se para a sede do município quando ele contava nove anos de idade. Ali fez o curso primário, ingressando a seguir no liceu, onde realizou o Curso de Humanidades. Posteriormente, na Faculdade Nacional de Direito, formou-se em Advocacia, optando profissionalmente pelo magistério, como professor de História e de Direito Internacional.
Tinha 20 anos de idade quando sua noiva, a jovem Nina Arueira, que conhecera quando ainda eram ginasianos, desencarnou, a 18 de março de 1935. Do Plano Espiritual ela, através da própria mãe e, posteriormente, por Francisco Cândido Xavier, transmitiu diversas mensagens, que não lhe deixaram dúvida alguma sobre a sobrevivência da alma. Mais tarde, traçou o plano da fundação da Escola Jesus Cristo de Evangelização para Infância, a que se dedicou com muito ardor. Posteriormente, transformou-a na Instituição Espírita Escola Jesus Cristo, em virtude da grande afluência de adultos, pais das crianças, parentes e amigos. Ali foi, por toda a vida, sua oficina de trabalhos para Jesus.
Foi casado com Hilda Mussa Tavares, que deixou viúva, com os seguintes filhos: Margarida Maria, Flávio, Luiz Alberto e Celso Vicente. Ele, juntamente com outros trabalhadores da instituição, criaram dois orfanatos: A Casa da Criança, para meninas, e O Lar dos Meninos, além de vários outros departamentos tão comuns nas casas espíritas.  No Dia de Finados, todos os anos, comparecia ao cemitério distribuindo mensagens de consolação e falando a grande público que ali afluía num preito de saudade aos entes queridos.
Clóvis Tavares foi um dos grandes divulgadores da obra mediúnica de Chico Xavier. Como verdadeiro arauto do Espiritismo, considerado grande orador, percorreu todo o Estado do Rio de Janeiro e estados vizinhos na tarefa do “ide e pregai.”
De sua bibliografia constam os livros Sementeira Cristã (três volumes), A Vida de João Baptista, Histórias que Jesus Contou, A vida de Allan Kardec, Os Dez Mandamentos, Meu Livrinho de Orações (todos para crianças). Além de Trinta Anos com Chico Xavier, Amor e Sabedoria de Emmanuel. Deixou ainda inédito, para posterior publicação, De Jesus para os que Sofrem.

Clóvis Tavares desencarnou na cidade de Campos, no dia 13 de abril de 1984, vítima de parada cardíaca.

 

LUCENA, Antonio de Souza. Pioneiros de Uma Nova Era. Espíritas do Brasil.  Rio de Janeiro, RJ: Edições CELD, 1997. p. 67-70.  Trechos.

voltar ao topo


 

LEMBRETE FRATERNO

Reflexões sobre a Fé

 
 

...“Respondeu-lhes Jesus: Por causa de vossa incredulidade. Pois em verdade vos digo, se tivésseis a fé do tamanho de um grão de mostarda, diríeis a essa montanha: Transporta-te daí para ali e ela se transportaria, e nada vos seria impossível.”    Mateus, 17:20

A severa advertência de Jesus aos discípulos, quando estes o questionaram sobre a libertação do jovem obsedado, nos dá a real dimensão do que Kardec quis dizer sobre a fé inabalável.
O Mestre Nazareno disse que se a fé dos seus seguidores fosse do tamanho de um grão de mostarda, ela poderia transportar montanhas e, para que a cultivassem, nada seria impossível.
As montanhas estão sempre à nossa frente, sempre a nos desafiar com os seus diferentes nomes: Dificuldades, resistências, má vontade, preconceitos, orgulho, interesse material, egoísmo, vaidade, fanatismo...
São tantas as montanhas e, na maior parte das vezes, tão pequena a fé das pessoas!
Mas, nem por isso, devemos deixar de considerar esse aspecto, principalmente porque o processo de regeneração é uma atitude de fé.
A regeneração tem suas raízes na admissão dos erros, na sua compreensão e na resolução de encará-los de frente. É quando a razão dá os melhores conselhos e a certeza começa a nortear as esperanças...
Joanna de Ângelis ensina que o fato de se reconhecer os erros, não os elimina, mas traz um diferencial importante, que é permitir a cada um, enfrentar as suas faltas com confiança, esperança e conhecimento de causa, isto é a fé.
Podemos então dizer que fé é a confiança que se tem na realização de alguma coisa, mas, ela precisa ser conseqüência de um aprendizado, do conhecimento da grandeza de Deus, tem que estar envolta pela calma, pela serenidade, que conduzem à lucidez, que vislumbra a meta a ser alcançada. É ainda Kardec quem nos diz que a calma na luta é um sinal de força e de confiança; a violência, ao contrário, denota fraqueza e as duvidas da pessoa.
Todos os heróis do Cristianismo seguiram as pegadas de Jesus, conduzindo suas vidas com rigor, perseverança, inabaláveis convicções, mas sobretudo, com calma, com a serenidade dos que sabem para onde ir e têm a certeza do que os espera.
Os períodos mais violentos da história mostraram personalidades que, como os algozes do Cristo, não sabiam o que estavam fazendo, eles eram fracos e cheios de dúvidas sobre si mesmos.
Nenhum campo é mais propício ao fanatismo, do que aquele onde a dúvida se faz presente. Quem duvida, faz suas próprias regras e, invariavelmente, as faz distantes dos conceitos de Deus e próximas de seus interesses pessoais.
 Já a fé robusta denota a perseverança, a energia, e reúne os recursos para vencer obstáculos.

O amor é fé. Ele vence obstáculos muito difíceis como o ódio, por exemplo.

Assaruhy Franco de Moraes

voltar ao topo



PÁGINA AO JOVEM

 
   

Oração fraternal

Irmão nosso, que estás na Terra,
Glorificada seja tua boa vontade, em favor do Infini-to bem.
Trabalha incessantemente pelo Reino Divino com a tua cooperação espontânea.
Seja atendida a tua aspiração elevada, com esque-cimento de todos os caprichos inferiores
Tanto no lar da Carne, quanto no Templo do Uni-verso.
O pão nosso de cada dia, que vem do Celeste Ce-leiro, usa com respeito e divide santamente.
Desculpa nossas faltas para contigo, assim como o Eterno Pai tem perdoado nossas dívidas em comum.
Não permitas que a tua existência se perca pela tentação dos pensamentos infelizes.
Livra-te dos males que procedem do próprio cora-ção,
Porque te pertence, agora, a gloriosa oportunidade de elevação para o reino do poder, da justiça, da paz, da glória e do amor para sempre.

Emmanuel   

XAVIER, Francisco C. Correio Fraterno. Autores Diversos. Rio de Janeiro, RJ: FEB, p.124

voltar ao topo


 

NO MUNDO DO ESPERANTO

“La paco de Jesuo estu en la koroj de niaj karaj gefratoj”

ESPERANTO: CONCORRÊNCIA ZERO

 

 

 

 

José Carlos Cintra

Recentemente, durante a aula inaugural de um curso de Esperanto no Centro Cultural da USP, em São Carlos, indaguei dos alunos qual seria o maior concorrente do Esperanto. Todos responderam que é a língua inglesa. Em seguida perguntei pelo segundo maior concorrente, e a maioria respondeu o espanhol. Perguntado sobre o terceiro, muitos disseram ser o francês.
E aí causei uma grande surpresa ao contestá-los, dizendo que o Esperanto tem concorrência zero, entre as principais línguas do mundo. E por que o Esperanto não tem concorrente algum entre tais línguas?
Desde a sua criação, o Esperanto foi concebido para funcionar como segunda língua de todos os povos. Ao ainda menino Zamenhof, que vivia numa região onde se falavam vários idiomas, muito incomodava a ocorrência de desavenças decorrentes do desconhecimento da língua do "vizinho". E assim, quando aquele jovenzinho começava a imaginar um idioma neutro, para viabilizar a comunicação entre povos com línguas maternas diferentes, já estava presente o ideal da compreensão mútua entre os homens. Ao Esperanto é inerente o conceito da convivência pacífica, da fraternidade, da amizade verdadeira. Alguma outra língua tem característica similar?   Não, nenhum concorrente.

Outra característica marcante do Esperanto é que trata do idioma mais democrático do mundo. Com o Esperanto, não há privilégios. Todos o têm como segunda língua. No meio esperantista internacional, ninguém usa a sua língua materna, exceto os casos interessantes de crianças que aprendem o Esperanto desde o “berço”. É a mais pura democracia, no campo da comunicação lingüística. Ninguém tem a vantagem de usar a sua língua materna na conversação com estrangeiros. Por esse aspecto também o Esperanto não tem concorrente entre as línguas mais faladas.
Finalmente, o uso do Esperanto em países estrangeiros nos dá uma incomparável sensação de igualdade..
Essa igualdade no plano pessoal e individual pode ser estendida para as relações entre nações. Por ser neutro, o Esperanto não provoca nenhuma espécie de supremacia cultural de determinado povo. Ao contrário, valoriza as culturas  nacionais e contribui para a não-extinção de idiomas nacionais ou locais. Enquanto cada povo criou a sua língua  (e deve conservá-la), o Esperanto criou o seu povo. Por tudo isso, pode-se afirmar, sem nenhuma dúvida, que o Esperanto tem concorrência zero.

 

 (Transcrição parcial do informativo Peregrino. Ribeirão Preto - SP. maio de 2005 - página 10). - Contribuição de Maria Ramos Williams

voltar ao topo


 

FRASES QUE MERECEM MEDITAÇÃO

• “Uma pergunta jamais deverá deixar de ser o cen-tro de nossas cogitações nas vivências espíritas: Em que estou melhorando? Como adquirir essa noção clara sobre a posição espiritual, consideran-do o tamponamento do cérebro físico?”
• “A única postura que nos assegurará a mínima certeza de que algo estamos realizando em favor de nossa ascensão espiritual, na carne ou fora de-la, é a continuidade que damos aos projetos de re-novação que idealizamos. Os obstáculos serão in-cessantes até o fim da existência, não nos compe-tindo nutrir expectativas com facilidades, mas sim a coragem e o otimismo indispensáveis para vencer um desafio após outro.”
• “A palavra de ordem é recomeçar.”
• “Quantas vezes se fizerem necessárias, a nossa grande e única virtude é a capacidade de resistir aos apelos para a queda, jamais desistindo do ide-al de libertação que acalentamos, trabalhando mesmo que cansados, servindo mesmo que caren-tes, estudando mesmo que desmotivados, apren-dendo mesmo que sem objetivos definidos.”
• “A reencarnação é o mecanismo divino do recome-ço, da retomada.”

Cícero Pereira (trechos do Prefácio)   

(Extraído da obra Reforma Íntima sem Martírio. Pelo Espírito Ermance Dufaux.11.ed. Belo Horizonte, MG: SED, 2003 

voltar ao topo



 

RÁDIO  RIO  DE  JANEIRO 1400 KHz AM

•A EMMISSORA DA FRATERNIDADE presta um serviço de qualidade divulgando o Espiritismo.
Necessita de sua ajuda para modernização de seu parque de transmissão. Colabore. Informe-se.
TEL: (21) 3396-5252; (21) 3386-1400
Estrada do Dendê 659 - Ilha do Governador
CEP:  21920-000     www.radioriodejaneiro.am.br

voltar ao topo



 

UNIFICAÇÃO DO MOVIMENTO
ESPÍRITA DO ESTADO
DO RIO DE JANEIRO

MOMENTO HISTÓRICO: União dos Espíritas Fluminenses NOVO ÓRGÃO: CONSELHO ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - CEERJ

Concretizou-se a sonhada união! No dia 26 de março, na sede histórica da FEB, estiveram reunidas as instituições associadas à USEERJ e à FEERJ para aprovar o Estatuto e eleger a Administração do novo órgão. Num ambiente admiravelmente sustentado pela espiritualidade, pudemos ver a perseverança de todos os dirigentes que compareceram, mantendo-se participativos, em todos os momentos das assembléias. Eis o fruto da árdua semeadura... Parabéns CEERJ!

“Unidos, seremos fortes. 
Separados  seremos pontos de vistas.” 
Bezerra de Menezes

 

voltar ao topo



 

Palavras de ALLAN KARDEC durante um banquete em Lyon - 1860

 

“ A rapidez com que a Doutrina propagou-se nos últimos tempos, apesar da oposição que ainda encontra, ou talvez, por isso mesmo, pode fazer prever-lhe o futuro. Por uma questão de prudência, evitemos tudo quanto possa produzir uma impressão desagradável e retardar-lhe o desenvolvimento. Sigamos nisto os conselhos dos sábios Espíritos e não esqueçamos que, neste mundo, muitos sucessos foram comprometidos por excessiva precipitação. Também não nos esqueçamos de que nossos inimigos do outro mundo, assim como os deste, podem procurar arrastar-nos por um caminho perigoso.”

(Fonte: Viagem Espírita em 1862 e outras viagens de Kardec. Trad. Evandro Noleto Bezerra. Rio de   Janeiro: FEB, 2005. p. 159) 

voltar ao topo



NOTÍCIAS
- DO CEBM

• Visite o nosso site: www.bezerramenezes.org.br. Assim, poderá ter o Centro em seu lar durante 24 horas. Apresente sugestões para que possamos melhor direcioná-lo a você. Cadastre-se para receber O BOLETIM on-line.

• FEIRA DE LIVROS USADOS - nos meses de março e abril. Aceitamos livros usados em bom estado. COLABORE!!!

• O DEPARTAMENTO DE DIVULGAÇÃO dispõe, para empréstimo, de fitas de áudio e vídeo, com temas doutrinários. Possui uma biblioteca com mais de 1100 títulos à sua disposição. Procure um dos nossos plantonistas.
“Com o bom livro, caminhamos na direção do futuro e recebemos da Divina Imortalidade
a nossa gloriosa destinação de filhos da Luz.” (Emmanuel)

• As reuniões de Educação Espírita da Infância, Juventude e Família já se iniciaram, aos sábados, de 14:30 às 17:00. As inscrições estão abertas.

• Inscreva-se nos Grupos de Estudo que o Centro oferece. Informe-se na Secretaria.

• Consulte a programação dos estudos doutrinários. Sua presença às reuniões é aguardada com alegria.

• Prezado irmão associado: Coopere com nossa Casa mantendo em dia suas mensalidades. Delas dependem nossas tarefas assistenciais e de manutenção dos prédios.

• CAMPANHA DE NOVOS ASSOCIADOS - Para concretizarmos os novos projetos, precisamos aumentar o quadro de associados cooperadores, corações generosos que se unam a nós, participando das despesas de manutenção e conser-vação dos prédios. “Ajudar é honra que nos compete.” Contamos com você.

 
   

 

voltar ao topo


 

ATIVIDADES DO CENTRO

18:50/20:15 – Reunião de Estudo e Educação da Mediunidade ( privativa)
18:30/20:00 – Reunião de Atendimento  Espiritual (privativa)
...............................................................................................

13:45/15:00 – Reunião de Atendimento Espiritual (privativa)
14:30/15:00 – Diálogo Fraterno
15:00/16:30 – Reunião de Estudos Doutrinários (pública)
16:30/17:00 – Diálogo Fraterno
16:30/18:00 – Grupo de Estudo: Introdução à Doutrina Espírita * O Livro dos Espíritos
                    – Grupo de Estudo: * O Livro dos Médiuns
...............................................................................................

08:00/08:30 – Encontro de Oração
08:30/09:00 –  Diálogo Fraterno 
15:00/17:00 – Artesanato
19:00/20:30 – Grupos de Estudo

  • Introdução à Doutrina Espírita
  • Básicos da Mediunidade
  • Estudos do Evangelho
...............................................................................................

15:00/16:30   –  Estudo  da Doutrina Espírita em Esperanto
16:30/18:00   –  Esperanto: Curso Básico
18:30/19:00   –  Diálogo Fraterno
19:00/20:30   –  Reunião  de Estudos Doutrinários (pública)
...............................................................................................

08:00/08:30  - Encontro de Oração
18:45/20:00 - Reunião de Atendimento à Distância (privativa)
.................................................................................................

15:00/17:00 - Educação Espírita da Infância
15:00/17:00 - Educação Espírita da Juventude
15:00/17:00 - Educação Espírita da Família
15:00/17:00 - Grupo de Estudos Espíritas
17:30/19:30 - Grupo de Estudos Espíritas
.................................................................................................

10:00/11:30 - Reunião de Estudos Doutrinários (pública)
13:45/16:30 - Caravana - Visita ao Instituto Miguel Pedro ( mensal - no 3º domingo)
13:00/18:00 - Caravana - Visita ao Centro Espírita Filhos de Deus ( mensal - no 4º domingo)

 

voltar ao topo



 

Centro Espírita Bezerra de Menezes 1912 - 2006. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rafael Santos