O Boletim - Setembro/2005 - ANO XLVIII - Nº 574


• REFLEXÕES COM BEZERRA
• EDITORIAL
• PARA LER E REFLETIR
• LIVRO DO MÊS
• MOMENTO DE POESIA
• VULTO DO MÊS
• PÁGINA AO JOVEM
• NO MUNDO DO ESPERANTO
• LEMBRETE FRATERNO
• NOTÍCIAS
  



Bezerra convida-nos à reflexão

Coragem na Luta

Deveremos viajar na direção da nossa consciência para encontrarmos Jesus.

O mundo chamar-nos-á  a atenção mil vezes.

As falácias, os engodos, as fantasias, os instintos primários arrastar-nos-ão ao passado de delitos onde estamos e desejamos sair.

Se, por descuido da nossa vigilância, penetramos outra vez no labirinto das paixões, olvidando o planalto libertador da Terra,  a Consciência Crística convida-nos à ascensão.

Nem sempre é fácil ascender nos rumos do infinito.

As algemas da retaguarda detêm-nos o passo.

Jesus, no entanto, como Libertador, rompe-nos a cadeia férrea da paixão dominante, e podemos experimentar a emoção de alegria, o júbilo da liberdade.

Filhos da alma: o Mestre continua esperando por nós nas praias da Eternidade.

Toda vez quando O buscamos, surge uma identificação plena com o seu amor e, revitalizados pela Sua energia, conseguimos avançar vários largos passos na direção do planalto de sublimação.

Não nos detenhamos! Chuvas de sarcasmos, solo juncado de cardos, pedrouços e obstáculos, mas a voz do Amor continua chamando-nos.

Não nos esqueçamos que é necessário caminhar pela vereda estreita e difícil,  que nós próprios abrimos no ontem, até estarmos perfeitamente integrados na consciência do Amor não amado.

Se colocarmos sobre os ombros o fardo da Sua afetividade poderemos planar acima das vicissitudes.

Se aceitarmos o Seu, e não o jugo do mundo, observaremos que é tão suave a Sua misericórdia, que uma alegria inefável tomará conta de nós e, naturalmente, não olharemos mais para trás.

O Amigo convida-nos através do Consolador para rompermos, por definitivo, com a retaguarda dolorosa.

Avancemos, filhos da alma!

Olvidemos todo e qualquer mal, para recordarmos somente do bem.

Transformemos a queixa em gratidão a Deus pela ocorrência, façamos da dificuldade o desafio a vencer.

Ninguém atinge o topo da subida sem passar pelas baixadas difíceis e perturbadoras do caminho evolutivo.

Não estais a sós! Vossos anjos tutelares velam por vós e, nos momentos que os buscais, mediante a oração, nas pausas de reflexão, acercam-se- vos e transmitem-vos a coragem, o estímulo para a luta e um envolvimento terno e doce para superardes as aflições.

Recordai do Senhor: "No mundo somente tereis aflições, mas lembrai-vos de Mim. Eu venci o mundo”.  

Muitos de vós tereis oportunidades de vencer no mundo dos negócios, nas contribuições políticas, sociais, científicas e artísticas, mas não vos olvideis de vencer o mundo das tentações, o mundo dos caprichos, o mundo das tenazes violentas do erro e da loucura.

Ide, o Senhor está convosco!

Não desanimeis nunca, avançando sem cessar!

Exorando ao Mestre a Sua bênção de paz para todos nós, sou o servidor humílimo e paternal de sempre,

Bezerra

(Mensagem psicofônica obtida pelo médium Divaldo Pereira Franco, no encerramento da conferência, no Grupo Espírita André Luiz, no Rio de Janeiro, na noite de 04 de agosto de 2005.)

voltar ao topo


 


EDITORIAL

Neste mês de setembro, gostaríamos de destacar três fatos importantes na cronologia de nossa doutrina.

O primeiro deles, foi que em setembro de 1860, três anos após o lançamento do Livro dos Espíritos , Allan Kardec iniciou suas viagens de divulgação do Espiritismo, sendo que seu primeiro roteiro foi até Lyon ((França), e cidades vizinhas.

Após ter sedimentado as suas idéias no meio cultural parisiense, o Codificador preocupou-se em disseminar os princípios da doutrina, convencendo com sua didática especial, o vigor de suas palavras e a credibilidade do seu caráter.

Kardec acreditava firmemente na força da palavra coerente, sincera e resguardada pela verdade, nenhuma linha, nenhuma frase, era sem conteúdo estudado e meditado.

O juízo que dele faziam os sátiros da época, não o intimidava, pelo contrário, mostrava que aquele era o caminho, pois incomodava os arautos da desordem.

Foi também em setembro, no ano de 1865, apenas oito anos após a primeira publicação da codificação espírita, que Luiz Olimpio Teles de Menezes fundou, em Salvador BA, o primeiro Centro Espírita brasileiro, seguindo a luminosa esteira da palavra kardequiana, que já lançava suas bases na Pátria do Evangelho, seguindo as diretrizes da espiritualidade.

Ainda em setembro de 1881, via a comunidade espírita brasileira, surgir o 1º Congresso Espírita Brasileiro, discutindo os principais temas que empolgavam inteligências representativas da cultura nacional, a tal ponto significativas, que conseguiram que o Imperador Pedro II, recebesse uma comissão que lhe pediu e obteve respeito do governo para com a pratica da doutrina.

Todos esses fatos, não podem ser considerados isoladamente e nos trazem a reflexão sobre a importância da Casa Espírita, como centro irradiador da cultura espírita e, principalmente, do grande projeto de renovação do homem, concretizado por Kardec.

E, por último, em 12 de setembro de 1912, Emygdio da Graça fundou o Centro Espírita Bezerra de Menezes, no Rio de Janeiro.

Vamos praticar mais, freqüentar mais, participar mais. A Casa de Bezerra, completando 93 anos, não é apenas o local onde nos congregamos, ela é sobretudo, a continuação do trabalho doutrinário que teve inicio com Kardec, mas que ainda não terminou.

 

voltar ao topo


 

MOMENTO DE POESIA

SE ÉS ESPÍRITA

Se és seguidor da doutrina
Da fé que fala à razão,
Não te esqueças de cuidar
Da própria renovação.

Não te limites a crer
Sem que te envolvas na lida,
Do trabalho sem cansaço
No bem que enobrece a Vida.

Combate dentro de ti
O egoísmo milenar ―
Peso invisível na alma
Que te impede de caminhar...

Sê sincero no ideal
De quem procura a Verdade
E traduz tudo que sabe
Em obras de caridade.

Não faças calar a voz
Da consciência em ti mesmo,
Na excelsa escola do mundo
Consumindo o tempo a esmo.

Se és espírita, de fato,
E te tens por verdadeiro,
Lição que pregas aos outros,
Busca vivê-las primeiro!...

Irmão José e Eurípedes Formiga

Fonte: BACCELLI, A. Carlos, Frutos da Mediunidade . Uberaba, MG: Livraria Espírita Edições “Pedro e Paulo”, 2003 .

 

voltar ao topo


 

 

LIVRO DO MÊS

Indicamos para leitura:
1. ANÁLISES ESPÍRITAS

Esta obra reúne artigos, comentários, observações, crônicas, relatos, publicados em vários órgãos, alguns deles até mesmo não mais existentes. São cheios de referências a Allan Kardec e Léon Denis, seus autores prediletos em matéria de Doutrina Espírita. São verdadeiras aulas vivas de Espiritismo, claras, simples, objetivas e oportunas, da mesma forma pela qual, como brilhante orador, ele se expressava na tribuna. É uma leitura das mais atraentes nos dias de hoje.Os escritos apresentam uma fonte inesgotável de auxílio para os estudiosos do Espiritismo.

Caros leitores: . Reflitamos no conteúdo da obra indicada e aprofundemos o estudo dos temas oferecidos.

 


voltar ao topo


 

VULTO DO ESPIRITISMO

Cairbar Schutel - cronologia de vida

 

22 de setembro de 1868 - Nasce Cairbar de Souza Schutel, no Rio de Janeiro, filho de Anthero de Souza Schutel e de Rita Tavares Schutel;
1875 — Aos sete anos de idade, por decisão própria, aceita ser batizado na Igreja Católica;
24 de abril de 1878 - Morre seu pai, Anthero de Souza Schutel;
12 de setembro de 1878 - Nasce Antero, seu único irmão, que só viveria por 4 anos;
24 de setembro de 1878 - Morre, de febre puerperal, sua mãe, Rita Tavares Schutel;
Setembro de 1878 - Com a morte de sua mãe, vai morar com o avô paterno, dr. Henrique Schutel, no Rio de Janeiro e começa a freqüentar o Colégio Pedro II, onde cursa até o segundo ano.

 

1880 — Abandona a rotina escolar e emprega-se em uma farmácia da Rua l de Março, como aprendiz. Especializa-se na profissão de farmacêutico prático. Tempos depois, Muda-se para Araraquara;
1891— Em Araraquara, emprega-se na Farmácia Moura, onde trabalhou por dois anos, aperfeiçoando seus conhecimentos da profissão na manipulação de xaropes, poções e essências, e na nomenclatura dos medicamentos;
1893 — Passa a trabalhar como entregador de mercearia.
1894 — Compra um pequeno sítio para cultivar frutas e verduras. Além disso, abre um pequeno comércio.
1895 — Surto de febre amarela em Araraquara. Como prático de farmácia, atua no combate à moléstia. Nesse mesmo ano muda-se de Araraquara, provavelmente para Itápolis;
13 de agosto de 1896 - Chega à pequena Comuna do Senhor Bom Jesus das Palmeiras do Matão, ainda pequenino vilarejo, com raras casas cercadas de mata nativa. Ali se estabelece com uma farmácia, situada na esquina que hoje é formada pela Rua Rui Barbosa com Avenida 28 de Agosto. Integra-se à sociedade matonense, da qual seria figura exponencial, militando inclusive na política local;
28 de agosto de 1898 - Publicado o Decreto criando o município de Matão;
27 de março de 1899 - Eleito vereador, é escolhido por seus pares para o cargo de Intendente, que corresponde ao de primeiro prefeito de Matão, o qual ocupa, inicialmente, até 07 de outubro de 1899, e, depois, de 18 de agosto a 15 de outubro de 1900;
1904 - Católico fervoroso, cumpre seus deveres no catolicismo. Porém, insatisfeito com as explicações de um padre para seus constantes sonhos com os falecidos pais, frequenta sessões espíritas dirigidas por Quintiliano José Alves e Calixto Prado, convertendo-se ao Espiritismo;
15 de julho de 1905 - Funda o Grupo Espírita Amantes da Pobreza (hoje Centro Espírita O Clarim);
15 de agosto de 1905 - Funda o jornal espírita O Clarim. Nessa época, trava polêmica com o Padre João Batista Van Esse, que quase termina em tragédia, não fosse a intervenção de um advogado, aborrecido com o barulho provocado pelo clérigo e seus fanáticos seguidores;
31 de agosto de 1905 - Casa-se com Maria Elvira da Silva Schutel;
Setembro e dezembro de 1911 - Publica os livros Espiritismo e Protestantismo ; Histeria e fenômenos psíquicos ;
1912 — Já conhecido como o “Pai dos Pobres de Matão”, funda modesto Hospital de Caridade, para tratar de doentes pobres;
1914 — Começa a visitar presos na Cadeia Pública de Matão, onde era chamado sempre que algum detento era acometido de surto psicótico; em dezembro publica o livro O diabo e a igreja ;
1917 — Estende as visitas aos presidiários da Cadeia de Araraquara, onde profere palestras;
1918 — Publica os livros Espiritismo para crianças e Interpretação sintética do Apocalipse ;
Agosto de 1923 - Publica o livro Médiuns e mediunidades ;
Setembro de 1924 - Publica o livro Gênese da alma ;
15 de fevereiro de 1925 – Funda, com o auxílio moral e material do amigo Luiz Carlos de Oliveira Borges, a RIE — Revista Internacional de Espiritismo , destinada a um público mais erudito;
1925 a 1936 - Publica ainda os seguintes livros: Materialismo e Espiritismo (1925); Fatos espíritas e as forças X... (1926); Pará bolas e Ensinos de Jesus (1928); O Espírito do Cristianismo (1930); A vida no outro mundo (1932); Vida e Atos dos Apóstolos (1933); Preces Espíritas (1936);
19 de agosto de 1936 a 02 de maio de 1937 - Profere, aos domingos, as suas famosas 15 “Conferências Radiofônicas”, através da Rádio Cultura PRD —4, de Araraquara;
Setembro de 1937 - Publica em livro as Conferências radiofônicas;
30 de janeiro de 1938 - Desencarna, às 16:15. Na mesma noite, através do médium Urbano de Assis Xavier, comunica-se e sugere a seguinte frase para a sua lápide: “ Vivi, vivo e viverei porque sou imortal”.

 

(Texto integral - no Suplemento Especial do jornal O Clarim . Matão, SP: 15 de agosto de 2005. p.3)

voltar ao topo


 

LEMBRETE FRATERNO

Reflexões sobre a Obediência e a Resignação

“ A obediência é o consentimento da razão;
a resignação é o consentimento do coração.”
Lázaro; ESE: 9.8

Em sua lúcida mensagem, o Espírito Lázaro fez uma bem fundamentada observação quando disse que a humanidade cometia um erro quando confundia obediência com negação de sentimentos e resignação, com negação da vontade.

Como explicar aos egoístas e orgulhosos que obedecer é um ato de humildade diante da razão, se eles estão cegos pela falácia da altivez? Como demonstrar que o chamado amor próprio nada mais é que o egoísmo nos limites da hipocrisia?

Obedecer é um ato heróico que exige renúncia racional a todos os defeitos que acumulamos ao longo das muita vivências...

Quando obedecemos não o fazemos dentro do modelo de submissão que o homem criou para saciar sua vaidade de dominador e, sim, porque acreditamos na Lei Divina que nos acolhe e ensina o verdadeiro rumo para Deus. Obedecemos principalmente, ao nosso coração que reage iluminado aos ditames da consciência.

A obediência está no cume das nossas experiências, num momento especial onde não somos obrigados a mais nada. Somos apenas agentes de um processo acabado de compreensão, respeito, e na regra da evolução, candidatos aprovados para continuar a crescer em novas circunstâncias que a Lei de Causa e Efeito nos oferecer.

Da mesma forma, a resignação é, sobretudo, um ato de muita grandeza, é aquele bálsamo que nos envolve quando compreendemos a inutilidade de nos mantermos atados a tudo que nos prejudica, que nos trava a busca da luz.

Resignar-se é perceber a falsidade dos valores menores que nos prendiam e entender a importância da luta perseverante pela libertação espiritual, ou seja, é sentir que existe o erro e aceitar as regras para vencê-lo.

É nesse sentido que Lázaro relaciona a resignação às coisas do coração. Resignar-se não é saber perder, é saber usar o coração.

Mas como explicar esses aspectos para os que privilegiam as honras terrenas? Um dos pontos básicos de nossa Doutrina Espírita é exatamente dar a cada um a liberdade de entender a vida por seus próprios meios, usando seu próprio arbítrio, avaliando suas próprias responsabilidades. O uso da razão é um dos grandes privilégios humanos e nela encontraremos as nossas respostas.

A ninguém cabe a missão de forçar o próximo ao entendimento, a todos cabe a missão de exemplificar, para justificar aquilo em que acreditam. Essa a grande lição de Jesus.

Por não forçar ficou Ele refém da cruz e da sandice dos seus algozes, mas pelo Seu exemplo, ainda hoje está acolhendo seus arrependidos algozes.

O Mestre em todo o Seu magistério, ensinou a obediência ao Pai e a resignação à Sua vontade.

Há dois mil anos, todos os seus enviados procuram mostrar à humanidade que o atendimento a esse exemplo não diminui ninguém, pelo contrário, é o atalho para o caminho da luz, da verdade e da vida eterna.

Assaruhy Franco de Moraes

voltar ao topo


 

PÁGINA AO JOVEM

 

JUVENTUDE E AÇÃO

Faze da tua vida um dínamo de produção cristã.

Usa a tua juventude em favor de todos que necessitam da caridade .

Aplica o verbo doce para consolar os corações sofredores.

Age de tal maneira que tudo quanto executes reflita a presença de Jesus.

Se a Doutrina Espírita aponta para a precisão do estudo teórico, igualmente assinala para a necessidade da ação.

Recorda do lema do Espiritismo e faze dele a tua bandeira:

Fora da Caridade não há salvação”.

Observa que a crítica ferina poderá desviar-te do caminho se deres maior atenção ao que pensam de ti ao invés de trabalhar pela própria melhora.

Lembra sempre que Jesus, coloca tua mente voltada para as esferas superiores e lembra-te de que todos os que estão revestidos da carne devem na carne testemunhar.

Sê, portanto, corajoso e coloca em ação tudo quanto aprendeste com o Consolador.

Sê aquele que oferta um sorriso amigo, qual sol fulgurante, aos que trazem o coração regelado pela maldade do mundo.

Sê o irmão generoso, estendendo as mãos amigas aos irmãos angustiados à espera de um abraço de luz.

Usa os lábios e oferece o ósculo da fraternidade, a fim de que o amor fraternal te identifique como verdadeiro representante de Jesus.

Segue, amigo querido, oferta tua força de trabalho colocando Jesus em ação, sempre!

Wilson Ferreira de Mello

Fonte: CRISTIANO, Emanuel. Cartas ao Moço Espírita . Campinas , SP: Centro Espírita Allan Kardec. 2002.

voltar ao topo


 

NO MUNDO DO ESPERANTO

ESPERANTA RONDO BEZERRA DE MENEZES

“La paco de Jesuo estu en la koroj de niaj karaj gefratoj”

A “PROVA DE FOGO” DO ESPERANTO

Uma vez publicada a língua Esperanto (1887), o seu inspirado criador, Dr. L. L. Zamenhof, não sabia como ela se comportaria na prática. Tecnicamente estava tudo certinho; a língua era clara, lógica, flexível e simples, mas, será que funcionaria, ao ser empregada nas discussões de um congresso?

Durante o 1º Congresso Internacional de Esperanto ( 1905 – em Boulogne-sur-Mer, França), no entanto, ficou demonstrado, de modo inequívoco, que o Esperanto funcionava a contento e que as idéias fluíam com perfeição ao serem vestidas com a roupagem da nova língua.

Não havia dúvida, o Esperanto tinha passado no teste de “funcionalidade”, isto é, constatou-se que era possível usar esta língua tanto na comunicação escrita como na linguagem falada.

É claro que pequenas falhas na conversação devem ter ocorrido, pois os primeiros esperantistas não haviam ainda tido tempo nem oportunidades de se exercitarem na prática da conversação; mas, mesmo assim, eles se entenderam muito bem e se comunicaram perfeitamente, fazendo, numa semana, um excelente trabalho que, em outros tipos de congresso nos quais são usados tradutores e intérpretes, gasta-se muito mais tempo e dinheiro, com resultados bastante imperfeitos na transmissão de idéias.

Nos congressos anuais que se seguiram ao de 1905, a língua Esperanto passou a ser usada com perfeição, pois os esperantistas já então dominavam bem essa língua. As conversações e os discursos se efetuavam sem dificuldades. O Esperanto era agora realmente um língua viva e eficiente, capaz de expressar com clareza todas as nuanças de um pensamento.

Atualmente, todos os anos ocorrem congressos internacionais de Esperanto.

Como é admirável e belo o entendimento que neles se observa!

Cada um fala sem intermediários com os companheiros de outras terras e de outras línguas.

Todos se entendem, se confraternizam e se tornam amigos. Há um ambiente de paz e de fraterna interlocução. Ninguém se sente humilhado diante de um estrangeiro, como costuma acontecer quando ‘tropeçamos' ao falar com alguém numa língua que não é a nossa língua materna.

O Esperanto nos liberta do ‘medo de falar errado', do complexo de inferioridade lingüística.

Não há a menor dúvida: o Esperanto passou muito bem nas diversas ‘provas de fogo' a que foi submetido.

Vejam, já se realizaram 90 congressos internacionais de esperantistas até 2005, com a presença de milhares de pessoas das mais variadas línguas do mundo. O que parece incrível é que essas pessoas se entendem perfeitamente usando apenas o Esperanto.

A língua realmente funciona. E funciona muito bem!

O Esperanto está aprovado. O lógico e racional agora é utilizá-lo, cada vez mais, em todos os campos.

É o que já estão fazendo milhares de ‘pessoas de visão' em todos os recantos do Mundo.

Alberto Flores

( Texto extraído do Reformador , abril de 1992)

voltar ao topo


 

NOTÍCIAS
- DO CEBM

•  Você já visitou a nossa página na Internet? Procure-a no endereço www.bezerramenezes.org.br , e você poderá ter o Centro em seu lar durante 24 horas. Navegue em suas páginas e você poderá contar com o conforto que recebe em nosso Centro.

•  Prezado irmão associado: “ Para os trabalhos espirituais da Casa, basta a união de pensamentos. Para os trabalhos materiais, basta a união nos pagamentos.” Mantenha em dia suas mensalidades.

•  Você deseja participar da manutenção das atividades assistenciais e materiais do Centro? Torne-se um associado. Informe-se na Secretaria.

•  O Departamento de Serviço de Assistência e Promoção Social Espírita continua realizando a campanha do leite em pó e alimentos não perecíveis . Colaboremos.

•  As obras de conservação do Centro continuam. Para que possam ter prosseguimento, a sua cooperação é indispensável.

•  Livraria: livros, CD Oficina de Paz , fitas cassetes com palestras, fitas de vídeos, estão à sua disposição para aquisição ou empréstimo. Visite as suas instalações e verifique as promoções.

•  Biblioteca – cadastre-se para obter, por empréstimo, as obras de seu interesse a fim de ampliar os seus conhecimentos espíritas. Informações no local.

 

- DO 12º CEU

•  IV Encontro Regional de Evangelizadores. Dia 7 de setembro, de 8:00 às 17:00, no Centro Espírita Bezerra de Menezes. Realização da Área de Evangelização Infanto-Juvenil e de Lares.

IV Encontro de Divulgação do Livro Espírita. Dia 25 de setembro, de 9:00 às 18:00, na Agremiação Espírita Francisco de Paula. Realização da Área de Divulgação.

- DA RÁDIO RIO DE JANEIRO – A EMISSORA DA FRATERNIDADE - 1400 AM

•  Projeto Ajuda Mútua . Doe seus cartuchos usados para a Rádio Rio de Janeiro. Utilize a urna que existe no CEBM. A sua contribuição, por menor que seja, é valiosa colaboração para garantir a programação da emissora no ar, 24 horas. Ouça a programação ao vivo no site www.radioriodejaneiro.am.br

voltar ao topo


 

PARA LER REFLETIR

•  “O contentamento é um elixir da vida, saúde e bem-estar. Previne a depressão e fortalece o sistema imunológico, além de inúmeros outros benefícios.” ? Saara Nousiainen

•  “O calendário da Terra pode estar passando; entretanto, temos agora o momento perfeito e a idade precisa que nos possibilitam discernir que devemos dar à vida seu alto e justo valor, seja qual for a faixa etária que estivermos atravessando.” ? Hamed

•  “Sirva com amor e por amor. Não se imagine bom porque esteja prestando esse ou aquele benefício. Seja espontâneo e despretensioso. Descubra a alegria de servir. Habitue-se ao bem de tal maneira que todos os seus atos por mais elogiáveis que pareçam nunca deixem de ser espontâneos e naturais. O santo não sabe se é bom. Ele é o que é. Não sabe ser de outra maneira. Por todo bem que você faça a outros o primeiro beneficiado será você mesmo.” ? Pastorino

voltar ao topo



 

Centro Espírita Bezerra de Menezes © 1912 - 2005. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rafael Santos