O Boletim - Novembro/2005 - ANO XLVIII - Nº 576


• REFLEXÕES COM BEZERRA
• EDITORIAL
• PARA LER E REFLETIR
• LIVRO DO MÊS
• MOMENTO DE POESIA
• VULTO DO MÊS
• PÁGINA AO JOVEM
• NO MUNDO DO ESPERANTO
• LEMBRETE FRATERNO
• NOTÍCIAS
  



Bezerra convida-nos à reflexão

Segundo as Vossas Obras

 

 

Filhos, não olvideis que a Lei Divina sempre vos concederá segundo as vossas obras.

Evidentemente que a graça vos alcançará em vossas necessidades, pois Deus não é um Pai que dê pedra ao filho que lhe pede pão. Por vezes, mesmo quando vos falte mérito para obter o que pedis, as bênçãos do Alto vos serão concedidas, todavia não vos esqueçais de que o vosso merecimento é que vos recomenda e vos endossa nas rogativas que endereçais à Providência Divina.

 

Fazei por merecer aquilo de que tendes carência porquanto são muitos aqueles que, infelizmente, sequer se colocam em condições de valorizar e aproveitar a intercessão que solicitam do Mundo Superior.

A semente também produz segundo a qualidade da terra em que é lançada...

Quantas petições requisitadas em prece não são identificadas por aqueles que as formulam, no exato momento em que são deferidas?

As necessidades de quem se empenha no bem do semelhante, procurando minimizar-lhes os padecimentos, são atendidas sem alarde e com presteza pela Lei que manda dar a cada um segundo as suas próprias obras.

Não raro, porém, o auxílio que solicitais demanda certo tempo de preparação para que não se faça infrutífero em suas conseqüências.

O socorro obtido nem sempre é o de repercussão mais profunda para quem se coloca na expectativa dele, mesmo porque quem obtém o que pede na hora em que pede acaba por se tornar adepto da lei do menor esforço.

Deus é um Pai que educa e corrige, não permitindo que os filhos descambem para a viciação.

Filhos, se tendes na Terra remédio de graça para as enfermidades do corpo, não acrediteis que a Misericórdia Divina não possua recursos para vos suprir, quando a indigência de vossos espíritos transpareça nas provas que atravessais.

No entanto, diligenciai em acumular os créditos espirituais que, em qualquer circunstância e em qualquer tempo, atrairão naturalmente para vós o amparo que vos é imprescindível, sem que se necessite mobilizar tantos intermediários e afastar tantos obstáculos para que ele vos alcance. Deus é um Pai que educa e corrige, não permitindo que os filhos descambem para a viciação.

Bezerra

Fonte: BACCELLI, Carlos A. A Coragem da Fé . São Paulo, SP: Editora DIDIER. cap. 25.

voltar ao topo


 


EDITORIAL

Foi no mês de novembro de 1849 que as irmãs Fox realizaram as primeiras demonstrações públicas de suas faculdades mediúnicas, na cidade de Rochester, nos Estados Unidos.

No inicio, eram puras demonstrações do fenômeno, sem que se soubesse exatamente para que serviam, ou mesmo, se havia sinceridade no que faziam.

As irmãs Fox foram acusadas de charlatanismo e muito sofreram, até que desistiram de suas práticas mediúnicas.

Somente 55 anos depois, em 1904, foi descoberto o cadáver do mascate que havia sido assassinado e enterrado no porão da casa delas, em Hydesville e que se comunicava por elas, dando conta do que havia acontecido com ele. Era uma prova cabal de que as Fox haviam sido sinceras, que a comunicação existira e que havia vida após a morte. Mas nessa época, um professor francês, que se interessara em entender os fenômenos espirituais, já havia avançado nesse campo e codificado uma doutrina que se espalhava para além da França e se consolidava em terras brasileiras.

Allan Kardec explicava racionalmente os fenômenos mediúnicos e colocava a razão na frente da especulação, mostrando que nada é misterioso ou sobrenatural.

Dez anos depois, em 1914, a Casa de Bezerra, pelo idealismo de Emygdio da Graça, já estaria funcionando, lançando sementes que ainda hoje estão fertilizando o solo de amor de nossa cidade.

Ainda em novembro, comemoramos o nascimento de Amália Domingo Soler, na Espanha, em 1835. Amália tornou-se uma importante escritora, com uma digna obra literária, de inspiração espiritual, cujos livros valem a pena ser lidos.

Também em novembro, em 1918, retorna ao espaço o sempre lembrado Eurípedes Barsanulfo, cujo exemplo e dignidade, permanecem como constante aula de cristianismo e ideal espiritista.

Em 1876, nesse mês, nasceu na Bahia, Manoel Philomeno de Miranda, referência obrigatória nos estudos de mediunidade, passes e outros recursos de que o Espiritismo se serve para facilitar o processo de reforma íntima do homem.

Muitas coisas poderemos fazer ao longo deste mês. Os nomes, os exemplos e as obras estão aí, ao nosso alcance. Só precisamos decidir aprimorar nossos estudos e o entendimento da doutrina redentora.

voltar ao topo


 

MOMENTO DE POESIA

Além

Além da sepultura, a nova aurora
Luminosa e divina se levanta;
Lá palpita a beleza onde a alma canta,
A luz do amor que vibra e revigora.

Ó corações que a lágrima devora,
Prisioneiros da dor que fere e espanta,
Tende na vossa fé a bíblia santa,
E em vossa luta o bem de cada hora.

Além da morte, a vida tumultua,
O trabalho divino continua...
Vida e morte ― exultai ao bendizê-las!

Esperai nos tormentos mais profundos
Que a este mundo sucedem-se outros mundos,
E às estrelas sucedem-se as estrelas!

João de Deus

Fonte: XAVIER, Francisco Cândido. Parnaso de Além Túmulo . 13.ed. Rio de Janeiro, RJ: FEB.1988. p.336.

 

voltar ao topo


 

 

LIVRO DO MÊS

À LUZ DO CONSOLADOR.
Autoria de Yvonne do Amaral Pereira. Rio de Janeiro, RJ: FEB.

Apresentação da obra: “ O presente volume enfeixa um conjunto de artigos da médium Yvonne do Amaral Pereira, publicados no mensário O Reformador , entre os anos 60 e 80, sob o pseudônimo Frederico Francisco . São substanciosas peças, sob múltiplos aspectos valiosas, pois se estruturam, em sua concepção num excelente e sempre atual conteúdo doutrinário, na inequívoca inspiração dos Espíritos Superiores e na experiência da própria médium, seja do ponto de vista da prática do Espiritismo, seja do ponto de vista do seu conhecimento da vida e da alma humana.“

Amigo Leitor : Aproveite bem o precioso conteúdo da presente obra, transferindo suas lições para a conduta diária, para a prática da Doutrina que Yvonne A. Pereira tanto amou e respeitou.
 


voltar ao topo


 

VULTO DO ESPIRITISMO

REV. WILLIAM STAINTON MOSES

 
 

Nascido a 5 de novembro de 1839, em Domington, Lincolnshire, Inglaterra, e desencarnado a 5 de setembro de 1892. William Stainton Moses iniciou os seus estudos sob a direção de seu pai e foi em seguida confiado a um professor particular que se empenhou com seu genitor para que enviasse o filho a uma escola pública. Em 1855, ingressou na Escola de Gramática de Bedford, onde estudou durante três anos. De Bedford, Stainton Moses entrou para o Exeter College, de Oxford, no ano de 1858. A fim de convalescer de enfermidade, viajou durante um ano pelo continente europeu e, na volta, passou seis meses no velho mosteiro grego do Monte Athos. Com 23 anos de idade, Stainton Moses voltou para Oxford, onde recebeu o diploma, deixando a Universidade em 1863. A necessidade de viver uma vida no campo levou-o a aceitar um curato em Maughold, perto de Ramsay, Ilha de Man, permanecendo ali durante cinco anos.Uma epidemia de varíola pôs em relevo a sua dedicação e intrepidez. Como não havia médico no lugar, o jovem, que tinha alguns conhecimentos de medicina, tratou dos corpos e das almas dos habitantes da região. Entretanto, a sua saúde obrigou-o a procurar uma nova residência. Retirou-se para ocupar, em 1868, o curato de Saint-Georges, Douglas, Ilha de Man, onde caiu gravemente enfermo. Em setembro de 1869, abandonou o curato.

 

Decorridos alguns meses, nos quais exerceu funções eclesiásticas em Langton, e em um curato da diocese de Salisbury, uma moléstia da garganta obrigou-o a renunciar ao ministério. Em 1870 sua atenção foi atraída para o Espiritismo durante o tempo em que residiu na casa do Dr. Speers em Londres. A esposa desse médico permaneceu enferma durante três semanas e, para distrair-se, lia o livro “Debatable Land' (Região em Litígio entre este mundo e o outro), de autoria de Dale Owen. Interessando-se por esse livro, Stainton Moses pediu para ler e procurar o que poderia haver de verdadeiro nos fatos que o autor narrava. Em 1872, Stainton Moses começou a estudar o Espiritismo. Numa sessão realizada na residência do casal Speers, tendo Stainton Moses como médium, todos se tomaram convictos da realidade da existência de Espíritos comunicantes, consolidando assim a crença na imortalidade da alma. Pela mediunidade de Moses nunca se produziram menos de dez espécies diferentes de manifestações. Quando as condições eram favoráveis, as manifestações multiplicavam-se, as pancadas tornavam-se mais freqüentes, as luzes mais brilhantes e os sons musicais mais distintos. Stainton Moses ocupou-se da formação de sociedades com o fim de estudar o Espiritismo: Associação Nacional Britânica dos Espiritualistas (1873); Sociedade Psicológica da Grã-Bretanha (1875); Sociedade de Pesquisa Psíquicas, (1882) e finalmente a Aliança Espiritualista de Londres, da qual foi o primeiro presidente, cargo que exerceu até a sua desencarnação. Embora sua faculdade mediúnica decrescesse de intensidade, ele conservou sempre a faculdade de psicografia. Desde 1889 a sua saúde ficou bastante combalida, ataques sucessivos de influenza minaram-lhe a constituição, causando a sua desencarnação. A sua obra Ensinos Espiritualistas foi vertida para o português por Oscar D'Argonnel. Trata-se de uma obra que encerra uma série de ensinamentos ministrados pelo Espírito Imperator . Em sua vida de relação, Stainton Moses era um homem cordato, justo, que sempre exercia julgamentos retos, modesto, sem vaidade, que jamais dirigia palavras ásperas aos seus detratores e que, em resumo, possuía um conjunto e qualidades raras entre os homens.

 

Fonte: GODOY, Paulo Alves. Grandes Vultos do Espiritismo. 2ª.ed. Edições FEESP. p. 161. Excertos.

voltar ao topo


 

LEMBRETE FRATERNO

Reflexões sobre a Mediunidade

“Estai, pois, em guarda e vigiai incessantemente a porta do vosso coração...”
Vicente de Paulo
(O Livro dos Médiuns, Cap. XXXI, Dissertações Espíritas – XXVI)

As irmãs Fox fizeram sua primeira apresentação pública sobre fenômenos mediúnicos no dia 14 de novembro de 1849.

Foi mais um espetáculo circense, tentando apresentar quadros de adivinhações, do que a demonstração de um princípio espiritual atuante, em outra dimensão.

Mas foram essas demonstrações que, ao atraírem a curiosidade dos leigos, também atraíram a atenção de pessoas que, pelo espírito de buscar a racionalidade em tudo, procuraram explicações para o que viam.

Entre esses curiosos metódicos um destacou-se sobremaneira, por querer ir mais além, não só visualizando explicações científicas, mas reconhecendo fundamentos bem mais profundos nas mensagens, encontrando mais que um fenômeno, encontrando um importante ponto de remissão espiritual, à luz de princípios de regeneração que foram sendo revelados à medida em que ele melhor compreendia a sua missão.

Esse pesquisador que se destacou era um professor francês que veio a ser conhecido como Allan Kardec e seus estudos e observações deram origem a uma irrefutável doutrina, orientada pelos espíritos superiores, cujo impacto não deixou dúvidas quanto à sua natureza divina, uma verdadeira revelação, uma mensagem consoladora prometida pelo Mestre Jesus.

Doze anos depois da apresentação histórica das irmãs Fox em Rochester, Estados Unidos, Kardec trazia um manual perfeito, sintonizando a mediunidade, não com as atrações circenses ou os meandros da ribalta, mas mostrando a metodologia da mediunidade e seu papel de importante elo na regeneração do espírito.

A leitura de O Livro dos Médiuns , feita de uma forma sistemática, permite que, a cada linha, possamos entender o maravilhoso mundo que nos conecta com os valores eternos da Lei do Pai, tirando de lado, todo um processo de falsas idéias, preconceitos, mentiras e explorações comerciais.

O médium espírita é um trabalhador, sua matéria de lucro não é a retribuição financeira por aquilo que possa fazer, mas sim, a consciência de um dever cumprido, uma ajuda realizada.

Kardec, ao mesmo tempo em que sistematizou o processo mediúnico, dimensionou o médium para o entendimento de que sua função era trabalhar pelo próximo, devendo para isso, ter uma vida controlada, regrada, sadia em corpo e alma, devendo estudar o Espiritismo para poder melhor utilizar as suas aptidões. Estudar, esse o grande segredo, não só para os médiuns, mas para todos os que aspiram um lugar no brilhante sol da felicidade.

Kardec nos ensinou que mediunidade, no geral, não deve ser encarada como prêmio e sim, como oportunidade de resgate; o combustível da mediunidade é a humildade e seu privilégio, a sabedoria.

Também em O Livro dos Médiuns vamos encontrar a informação de que não existem “grandes médiuns”, “médiuns poderosos ou especiais...” Existem sim, espíritos que se destacam pela sua evolução, pelo seu trabalho e, colocando sua mediunidade a serviço do próximo, realizam coisas próprias dos missionários.

O individuo é que se eleva, não sua mediunidade, pois ela pouco será se o médium não se revestir de grande força moral.

Fica para reflexão um importante conselho que Vicente de Paulo dá aos médiuns, no trecho já citado de O Livro dos Médiuns , onde ele explica que “é necessário vigiar incessantemente o coração e as reuniões, para que o inimigo não penetre em nenhum dos dois. Pode até ser permitido pela espiritualidade que tal aconteça, mas eles, porém, estarão sempre do lado onde houver mais humildade e verdadeira caridade.”

Assaruhy Franco de Moraes

voltar ao topo


 

PÁGINA AO JOVEM

 
   

Na Tua Juventude

Eis que a vida te enseja nova oportunidade para a redenção.

Aquilata a oportunidade que te chega!

Vê, que no mundo, muitos se perdem na jornada e considera, ainda, que a Doutrina Espírita é fonte de luz em teu caminho.

Contudo, inúmeras situações haverão de convidar-te para que te afastes do trabalho do bem!

Diante disso:

•  Na tua juventude, usa o corpo físico para produzires a bondade no limite de tuas forças;

•  Na tua juventude, não desprezes aqueles que guardam, na Terra, maiores responsabilidades que as tuas e que podem contribuir para o teu progresso;

•  Na tua juventude, cuida para que o sexo desviado não te coloque em rotas não planejadas e que exigirão de ti habilidade para viajares por mares desconhecidos;

•  Na tua juventude, prestigia os estudos e coloca-te à disposição para que o teu intelecto equilibrado coopere para a propagação do Espiritismo, de forma que elucide melhor os que carecem de orientação entre as mais diversas classes sociais;

•  Na tua juventude, muito podes fazer em benefício da humanidade. Ocupa tua mente com pensamentos produtivos e filia-te às tarefas doutrinárias sorvendo os ensinamentos sublimes do Consolador, pronunciados da tribuna por mentes lúcidas e comprometidas com pureza doutrinária. Quanto possível, matricula-te no serviço voluntário da Casa Espírita que te acolhe, exercendo o sublime mister da caridade.

•  Na tua juventude, não percas tempo, trabalha hoje, coopera agora, a fim de que o Senhor identifique em ti a figura de um dedicado servidor e te confie tarefas maiores;

Na tua juventude, portanto, continua estudando o Espiritismo, honrando os compromissos do mundo, mas sobretudo doando-te em amor e auxílio a fim de que não te desvies nunca dos ensinos cristãos que recebeste.

Wilson Ferreira de Mello

Fonte: CRISTIANO, Emmanuel. Cartas ao Moço Espírita . Pelo Espírito Wilson Ferreira de Mello. Campinas, SP: Centro Espírita Allan Kardec. p. 79

voltar ao topo


 

NO MUNDO DO ESPERANTO

“La paco de Jesuo estu em la koroj de niaj karaj gefratoj”

A Mística de Zamenhof

Antes de descer à Terra um grande missionário para dar um novo impulso ao progresso dos homens, nascem numerosos pioneiros que lhe desbravam o terreno...

Esses pioneiros põem em foco o problema a ser resolvido, despertam para ele a atenção dos homens e assim possibilitam o cumprimento da tarefa do grande missionário...

O grande missionário não se pode confundir com os seus precursores e auxiliares, nem com os seus sucessores na continuação da mesma obra, porque ele se distingue muito de todos eles por sua elevada moral, além da superioridade intelectual que revela na compreensão e solução de todos os problemas que veio resolver...

Todos os precursores de Zamenhof, bem como seus auxiliares e seus continuadores, trataram de pormenores, de aspectos técnicos e práticos, mas só ele formulou uma mística superiormente religiosa que deu alma e vida à idéia de língua internacional, além de resolver tecnicamente todos os problemas para o funcionamento mundial do idioma neutro internacional. Só ele cogitou de todas as conseqüências morais do ideal de compreensão planetária.

Formulou ele uma mística a que deu o nome de Idéia Interna do Esperanto . Essa mística liga os trabalhadores pelo Esperanto, em escala mundial, sem distinções de raças, religiões e partidos e forma - como inspiradamente disse o poeta Geraldo Mattos – a religião da linguagem.

Sem essa Idéia Interna os trabalhadores nunca estariam coesos e não prosseguiriam sempre em seus esforços, alguns durante mais de meio século, só colhendo ingratidão do mundo.

Essa mística criada por Zamenhof tem encontrado fervorosos adeptos em todos os países, em todas as classes, entre todos os membros de todos os partidos, escolas e igrejas, dando corpo e vida ao movimento esperantista mundial.

Com espírito próprio, com hino, símbolo e bandeira, o movimento esperantista é uma força no sentido de unir os seres humanos em uma só família, nasce e se desenvolve com perfeita uniformidade em toda a superfície do Planeta, sem limitações sectárias e geográficas.

Criar essa mística de solidariedade fraterna de todos os habitantes do Planeta e dar-lhe espírito e vida é a obra maior de Zamenhof, porque é o lado espiritual do movimento instalado por ele sobre a Terra. Esse lado espiritual sobreviveu ao seu criador e cresce sempre, ligando seres dos dois planos da vida: encarnados e desencarnados. Tudo mais no Esperanto é material ou intelectual e perecível, mutável, mas essa parte espiritual é imortal e inalterável, sem limitações no tempo e no espaço...

São numerosos os Espíritos superiores que se manifestam para expressar seu apoio ao movimento esperantista e à mística de Zamenhof e muitos deles viveram antes do aparecimento do mestre dos esperantistas. Entre os desta categoria devemos mencionar Castro Alves, cujos poemas vibrantes a favor do Esperanto são bem conhecidos. Castro Alves não conheceu na Terra o Esperanto, mas conhece-o muito bem nas altas esferas da vida espiritual e por ele trabalha com todo o ardor do seu inconfundível talento...

A obra de um grande missionário pode ser retardada por erros ou maldade humana, mas não morre nunca porque pertence ao Plano Divino da evolução e tem sua alta direção nas Esferas Espirituais Superiores que a maldade dos homens não atinge.

A mística de Zamenhof poderá ser muito retardada, sofrer muitos reveses, como já os tem sofrido, mas não poderá morrer nunca.

Maria Ramos Williams

Fonte: BRAGA, Ismael Gomes. O Esperanto na Visão Espírita . Editora Lorenz

voltar ao topo


 

NOTÍCIAS
- DO CEBM

•  ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA - O Centro Espírita Bezerra de Menezes reuniu-se em Assembléia Geral Extraordinária no dia 29 de outubro de 2005 para referendar as decisões da Diretoria Executiva. Foram aprovadas, por unanimidade, as seguintes proposições: a) alteração parcial do art. 1º do Estatuto, em observância dos novos dispositivos do Código Civil, excluindo do seu teor a expressão associação civil pela expressão organização religiosa , mantendo o mais como se encontra. b) composição da nova Diretoria Executiva para complemento do mandato até janeiro de 2007, ficando assim constituída: presidente: Lydia Alba da Silva; vice-presidente: Christodolino da Silva; primeira secretária: Lila Bomhoff Silveira; segunda secretária: Wilma Lourenço; primeiro tesoureiro: Ennio de Oliveira Tavares; segundo tesoureiro: Adélia Menezes Maia Gallo.

•  Você já visitou nosso site? Procure-o no endereço www.bezerramenezes.org.br , e você poderá ter o Centro em seu lar durante 24 horas. Navegue em suas páginas, você continuará a receber o conforto que em nosso Centro recebe.

•  Prezado irmão associado: “ Para os trabalhos espirituais da Casa, basta a união de pensamentos. Para os trabalhos materiais, basta a união nos pagamentos.” Coopere com nossa casa mantendo em dia suas mensalidades. Delas dependem nossas tarefas assistenciais e materiais.

•  O Departamento de Serviço de Assistência e Promoção Social Espírita continua realizando a campanha do leite em pó e alimentos não perecíveis . Colaboremos.

•  Graças à sua cooperação, as obras de conservação do Centro tiveram início, mas, para que possam ter prosseguimento, nossa Casa continua a contar com a ajuda de seu coração amigo.

 

- DO 12º CEU

•  III ENCONTRO DE TRABALHADORES DO SAPSE. Dia 20 de novembro de 2005, de 14:00 às 17:00, na Agremiação Espírita Francisco de Paula (Rua dos Araújos 28 – Tijuca)

•  HOSPITAL PEDRO DE ALCÂNTARA ( mantido pela Associação Espírita Obreiros do Bem )
Consultas a preços populares- Psiquiatra, psicólogo, terapeuta ocupacional e nutricionista. Endereço : Rua Santa Alexandrina, 667- Rio Comprido (RJ).
Maiores informações pelo telefone 2502-6377

- DA USEERJ

•  XVII CONFRATERNIZAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – CEERJ. TEMA CENTRAL: ALLAN KARDEC E A ERA DA REGENERAÇÃO. Datas: 09 a 11 de dezembro de 2005. Local: RIO CENTRO – Pavilhão de Congressos 05.

 

voltar ao topo


 

PARA LER REFLETIR

“Todas as formas de beneficência se revestem de grandeza singular, no entanto, aquela em que o amor se te exterioriza será sempre a mais alta. Quando irradias semelhante luz, notarás que fulgurações de alegria se te reluzem no íntimo, conquanto encerradas na felicidade interior que nem sempre consegues transferir”.

Emmanuel

“Não deplores a função ou tarefa humilde, na qual te encontras edificando o futuro. Todas as realizações, por mais grandiosas, não dispensam a participação das aparentes e pequenas contribuições que, em última análise, são-lhes fundamentais. A melhor engrenagem pode desarticular-se quando alui modesto parafuso. A maquinaria mais sofisticada estrutura-se com o mineral transformado, antes sem outra serventia. Todas as tarefas que promovem a vida são de relevante significado. Não é a função, que dignifica o homem, mas este quem a enobrece. Realiza, desse modo, o teu dever, com a consciência de que ele é de suma importância no concerto geral da vida”.

Joanna de Ângelis

 

“Perseverai nos vossos esforços, porquanto a gratidão dos trabalhadores da Verdade vos acompanhará a trajetória, com preces e ternuras de muita dedicação”.

Aniceto

 

“Somente a humildade sincera do trabalhador consciente e fiel consegue tocar os corações impenitentes e desarmar o braço dos fratricidas, assegurando o triunfo da Verdade Maior.”

Áureo

voltar ao topo



 

Centro Espírita Bezerra de Menezes © 1912 - 2005. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rafael Santos