O Boletim - Dezembro/2005 - ANO XLVIII - Nº 577


• REFLEXÕES COM BEZERRA
• EDITORIAL
• PARA LER E REFLETIR
• LIVRO DO MÊS
• MOMENTO DE POESIA
• VULTO DO MÊS
• PÁGINA AO JOVEM
• NO MUNDO DO ESPERANTO
• LEMBRETE FRATERNO
• NOTÍCIAS
  



Bezerra convida-nos à reflexão

AMOR E CARIDADE

 

 

O AMOR é luz divina.

A CARIDADE é benemerência humana.

A claridade revela.

A bondade socorre.

Consagraste o coração ao ministério bendito com Jesus e esperamos que os espinhos da senda produzam flores para a tua fé renovadora e vibrante e que as pedras da estrada se convertam, ao toque de tua compreensão e de tua boa vontade, em sublime pão do espírito.

Em verdade, a sementeira e a seara são infinitas. Cada setor reclama mil braços e cada leira exige devotamento e vigilância; entretanto, um discípulo somente, que se afeiçoe ao Mestre, pode realizar os milagres do amor e da caridade por onde passe, acordando corações para o serviço redentor.

Não nos cansemos, pois, na dedicação com que nos devotamos ao apostolado da renunciação.

* * *

Samaritano do Evangelho vivo, percebeste que não venceremos na batalha de nós mesmos, sem partilharmos a carga que aflige os nossos irmãos mais próximos. Penetraste, feliz, o santuário do entendimento novo e dispuseste o coração ao serviço mediúnico, apreendendo o valor do serviço aos semelhantes. Abençoado sejas.

Fenômenos e discussões, muita vez, constituem meros processos de enrijecer as fibras da alma, porque nem todos se colocam, no mesmo nível, para a recepção das dádivas celestiais.

Todavia é imperioso reconhecer que o bem é a porta sublime através da qual o próprio pensamento de Jesus se manifesta, consolando e salvando, edificando e lenindo, amparando e iluminando o coração do homem cada vez mais.

Não descansemos, portanto, em nossa faina de ajudar e construir sempre.

* * *

Espiritismo sem aprimoramento espiritual é templo sem luz.

A hora do mundo é sombria e a jornada humana reclama lâmpadas acesas, para que as ovelhas retardadas não se precipitem nos despenhadeiros fatais.

Irmanemo-nos no ministério da evangelização e avancemos.

* * *

Amor sem caridade é teoria de lábios desprevenidos: caridade sem amor é aquele sino que tange da imagem paulina.

Unamo-nos, em vista disso, na luz que redime e na fraternidade que socorre, convencidos de que não nos faltará a bênção daquele Divino Amigo que prometeu caminhar conosco até o fim dos séculos.

(Mensagem recebida em 8.11.1948)

Bezerra

Fonte: XAVIER, Francisco C. Bezerra, Chico e Você. São Bernardo do Campo, SP:GEEM. Item 36. p.53-5

voltar ao topo


 


EDITORIAL

Já chegamos ao final de mais um ano. Aproxima-se mais um Natal.

E nós, onde estamos? Quais foram as nossas aproximações neste período que se encerra?

Nessas horas, lembramo-nos de uma história do saudoso Malba Tahan, onde um beduíno, ao chegar em um oásis, encontrou um homem que chorava copiosamente, em fortes soluços. Por mais que fosse instado a explicar o motivo do seu desespero, nada respondia, só chorava.

Em dado momento, o homem resolveu dizer que chorava por uma valiosa jóia que havia perdido. Imediatamente, o beduíno respondeu que não havia razão para tanto pranto, ele era moço, poderia trabalhar, amealhar novos recursos e adquirir uma outra jóia, tão ou mais valiosa que aquela perdida.

O homem então respondeu que, igual à peça perdida, nunca mais poderia encontrar outra, nunca mais, nem mais valiosa, porque o que perdera era o dia que passou...

Em nosso caminho evolutivo na direção do Pai e Suas moradas, quantos dias não teremos perdido, na inutilidade das falsas expectativas e nas brumas da ambição e da vaidade ?

Um ano que termina, sem que nossos principais propósitos tenham sido atingidos, não deve ser visto como uma derrota, digamos que seja uma falha de percepção, algumas questões não foram percebidas em sua real importância, mas o Criador sempre oferece chances para nossa melhoria, para nossa reeducação e nada melhor do que um novo ano para novas resoluções, correções de rumo, otimismo,...

A Doutrina Espírita, ao explicar a reencarnação, tem nas possibilidades diárias de renovação um edificante exemplo de que cada amanhecer nos trará uma nova jóia, nova oportunidade, uma nova luz.

Vivamos essa alegria com Jesus no coração nessa nova aurora que se aproxima.

voltar ao topo


 

MOMENTO DE POESIA

Jesus

Jesus foi na Terra
A mais perfeita encarnação do Amor Divino.
E ainda hoje,
Nos dias amargurados que transcorrem,
É para a Humanidade
A promessa da Paz,
O manto protetor
Que abriga os aflitos e os infelizes,
Opção que sacia os esfomeados das verdades eternas,
A fonte que desaltera todos os sofredores.
Apegai-vos a Ele, cheios de confiança!

Ele é a misericórdia personificada,
O Jardineiro Bendito
Que jorra no coração
Dos transviados do caminho do Bem,
As sementes do arrependimento
Que hão de florir na Regeneração
E frutificar na perfeita felicidade espiritual.
Ouvi a sua voz
No silêncio da consciência que vos fala
Do cumprimento austero
De todos os deveres cristãos!
E um dia
Descansareis reunidos,
Ligados pelos liames inquebrantáveis
Da fraternidade além da morte,
A sombra da árvore luminosa
Das boas ações que praticastes,
Longe das lágrimas
Do orbe obscuro,
Dos prantos e das provações remissoras! ...

Marta

Fonte: XAVIER, Francisco Cândido. Parnaso de Além Túmulo. 13.ed. Rio de Janeiro, RJ: FEB.1988. p. 386.

 

voltar ao topo


 

 

LIVRO DO MÊS

LUZ DO MUNDO.

Pelo Espírito Amélia Rodrigues. Psicografia de Divaldo P. Franco. 8.ed. - Salvador, BA: LEAL, 2003.

Comentário: “Este livro, narrando e repetindo as mensagens do Senhor às Suas gentes simples e sofridas do passado, é um convite, uma tentativa de entretecer um colóquio com os que sofrem, apresentando-lhes Jesus, o Incondicional Benfeitor, que permanece aguardando por nós.” Assim se expressa a Benfeitora Espiritual Amélia Rodrigues no antelóquio da obra.

LEITOR AMIGO. A leitura desta obra faz com que as mentes e os corações recordem os feitos e as palavras do Meigo Nazareno, na linguagem poética da autora espiritual. São momentos de paz e de superiores venturas espirituais que poderemos viver no contato com a obra. Boa Leitura!
 


voltar ao topo


 

VULTO DO ESPIRITISMO

HENRI HEINE

 
 

Seu nome em alemão era Heinrich Heine. Assina a mensagem inserida em O Evangelho Segundo Espiritismo no item 3 do capítulo XX, intitulada Os últimos serão os primeiros .

Nasceu em Düsseldorf em 13 de dezembro de 1797, de família judaica. Seu destino era o comércio e por isso foi encaminhado pelo pai a um tio banqueiro em Hamburgo. Logo verificou-se que ele não tinha o dom para a atividade e o tio o remeteu a Bonn, a fim de estudar Direito. Mas o jovem Harry, como era chamado então, interessou-se pelos assuntos literários e abraçou os cursos de literatura.

Berlim foi seu ambiente mais propício, permitindo-lhe freqüentar os salões literários e seguir a filosofia política de Hegel. Poeta e jornalista, ficou famoso pelos poemas e livros de viagens. Desgostoso pelo clima anti-semita do país, emigrou para Paris no ano de 1831. Ali se tornaria correspondente de grandes jornais alemães. Foi um dos mais inquietos e polêmicos jornalistas de seu tempo. Sua influência foi enorme dentro e fora da Alemanha. Na segunda metade do século XIX todos os poetas alemães pareciam heinianos.

Sua poesia é de um lirismo melancólico de início. Seus poemas sentimentais são cheios de infelicidade e lamentações amorosas.

Alguns poemas de amor conquistaram fama universal, sendo depois musicados por Schubert , Schumann e muitos outros compositores.

Escreveu poemas dedicados ao mar, em versos livres. E, por fim, a poesia política, tangendo versos que retratavam situações da época com Os Tecelões , poema inspirado pela greve dos tecelões esfomeados da Silésia.

Como prosador é considerado um dos mais ágeis da literatura de língua alemã, em qualquer tempo. Suas obras mais ambiciosas são A escola romântica e Sobre a história da religião e da filosofia na Alemanha. Nesse último, Heine parece querer completar o livro de Mme. de Stãel sobre a Alemanha, tentando mostrar aos franceses o pensamento estético e filosófico do seu país. Nele está estampada a profecia de um despertar revolucionário da consciência alemã e, sobretudo, a crença do poeta na importância universal do pensamento de Hegel.

Sofreu dificuldades financeiras, enfrentou conflitos políticos e a doença acabou por vitimá-lo. Sofreu uma paralisia que o conduziu à morte em 17 de fevereiro de 1856, em Paris.

A mensagem que se encontra em O Evangelho Segundo o Espiritismo é datada de Paris, 1863.

 

 

Fonte: Os Expoentes da Codificação Espírita .. Curitiba, PR: FEP. 2002. p. 69

voltar ao topo


 

LEMBRETE FRATERNO

Reflexões sobre Reis e Magos

 

“Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, no tempo do

Rei Herodes vieram uns magos do Oriente a Jerusalém,,, ”

Mateus, 2:1

Os cristãos acostumaram-se ao enternecimento com a história dos Reis Magos e sua homenagem ao Menino Jesus.

Mas, quem eram eles? Qual o reino que governavam? Os textos evangélicos são muito pouco elucidativos a esse respeito, seus nomes sequer são citados por Mateus e o texto bíblico narra que eles viram a estrela do “rei dos judeus” no Oriente.

A respeito desse episódio da visita dos Reis Magos, muito já se falou no mundo cristão, discute-se a origem de seus nomes, suas reais intenções, que a visita deles foi muito estranha, pois da mesma forma que vieram, se foram, não se sabe de onde, nem para onde...

Temos um fato: Jesus, ao nascer, recebeu a visita de amigos, vindos de longe, que simbolicamente lhe ofereceram mirra, incenso e ouro. Os amigos do Cristo tinham mediunidade, pois de acordo com o texto evangélico, receberam um aviso “em sonhos” de que Herodes tinha segundas intenções para com eles, e então partiram para sua terra.

A aparente situação deslocada da visita dos magos, revela um aspecto que foge à percepção de muitos. Na verdade, o advento de Jesus foi um fato de caráter universal e a percepção dos reis magos, de que algo importante estava acontecendo com o nascimento de um menino em Belém, demonstra que o mundo de então, seus representantes, seus sensitivos, estavam sendo alertados de uma situação nova e especial.

Os reis magos provavelmente vinham da Babilônia ou da Caldéia, lugares onde, na época, existia uma concentração de sábios, astrônomos, matemáticos, daí a observação da estrela que “anunciou” a vinda do Mestre e a viagem que realizaram deu o testemunho da importância e repercussão que o fenômeno celeste provocou.

Provavelmente deram inicio à tradição de se presentear no Natal, habito que hoje se consolidou, mas certamente com objetivos diversos do original.

A figura dos reis magos, impressa nos motivos natalinos e é quase sempre acompanhada da frase GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS E PAZ NA TERRA AOS HOMENS DE BOA VONTADE... E, no entanto isso é pouco praticado, as ambições são muito fortes, acredita-se que a manutenção da paz exige exércitos fortes, quando na verdade exige apenas amor, respeito, sinceridade de propósitos e perdão.

Mas eles sempre lá estão, teimosos, continuando sua viagem pelas areias do deserto, montados em seus camelos, simbolizando a frase que os acompanha. Quem sabe se o número dos que querem um mundo melhor não aumenta diante da persistência?

Creio que se perde muito tempo nas pesquisas sobre quem eram esses reis magos, suas intenções, seus nomes, de vieram e tantas outras perguntas...

Eles eram, e são ainda hoje, símbolos de uma mensagem cósmica do Messias. A estrela não foi um chamado? Eles não atenderam ao chamado? Não atravessaram terras em desconforto para ver o Menino? Não lhe renderam amizade através dos presentes?

Quantos, ao longo do processo cristão, se sensibilizam com o chamado do Cristo? Quantas vezes “estrelas” aparecem e as pessoas não percebem? Quantos estão dispostos a doar um pouco do seu ouro, sua mirra e seu incenso?

Reis magos e peregrinos, viajores eternos de uma mensagem luminosa, seguidores da estrela guia, exemplos vivos de um silencioso testemunho, que prossegue pelas ondulantes areias desse planeta.

Que a reflexão sobre o advento de Jesus, seus motivos, seja presente entre nós, para que também sejamos visitados pela mensagem eterna e conquistemos a paz e a boa vontade em nossos corações.

Assaruhy Franco de Moraes

voltar ao topo



PÁGINA AO JOVEM

 
   

ROGATIVA DA JUVENTUDE

“A prece é uma invocação, mediante a qual o homem entra, pelo pensamento, em
comunhão com o ser a quem se dirige. Pode ter por objeto um pedido,
um agradecimento, uma glorificação. Podemos orar por nós mesmos
ou por outrem, pelos vivos ou pelos mortos.”
(ESE, XXVII:9)

Reparaste-me os erros, no entanto, peço me mostres o caminho para que eu venha a trilhá-lo.

Acordei para o bem, sonhando servi-lo com fidelidade e pureza, contudo, numerosos quadros da vida anuviaram-me o coração.

Segui amigos que me traçaram rotas de luz, enredando-se nas armadilhas da sombra.

Induziram-me à abnegação e ao desprendimento, disputando as posses da Terra.

Aconselhavam-me a ajuda sem recompensa, agarrando-se ao próprio interesse.

Chamavam-me à humildade, exaltando a si mesmos.

Quantos falaram de tolerância e de paciência!

Trazidos, porém, à hora do sacrifício derramavam azedume e pessimismo como se trouxessem no peito

um vaso de fogo e fel.

Por isso, muitas vezes, tenho a desorientação instalada em minha alma.

Sei que meus modos te ferem, que as minhas palavras te afligem... Ainda assim, perdoa-me para que te possa compreender.

Não te busco a proteção como quem reclama.

Rogo-te auxílio moral, por amor do Cristo, que morreu na cruz para que entendêssemos a verdade.

Todavia, não me fales apenas.

Ensina-me como devo fazer.

Meimei

Fontes: XAVIER, Francisco C. Ideal Espírita . Uberaba, MG: Edição CEC. p. 187 e MACHADO, Adésio Alves. Diálogo com Deus. Preces de Meimei. Recife, PE: Doxa, 2003. p. 25-28

voltar ao topo


 

NO MUNDO DO ESPERANTO

“La paco de Jesuo estu em la koroj de niaj karaj gefratoj”

Dezembro, mês de festas para os esperantistas

Além de festejar o Natal, o Mundo do Esperanto enche-se de alegria e comemora no dia 15 de dezembro a data de nascimento de Zamenhof, o criador do Esperanto, esse importante instrumento de alcance da fraternidade universal.

Zamenhof, nasceu em Bialistoque, na Polônia, em 15/12/1859, filho do prof. de línguas Marcos Zamenhof e de Rosália Zamenhof, ambos judeus.

Desde a infância Zamenhof sofria muito por causa de preconceitos e ódios raciais e religiosos existentes em sua cidade natal. Judeus, poloneses, russos e alemães formavam comunidades distintas, cada uma com sua língua, costumes e religião e viviam em desentendimentos freqüentes.

Zamenhof notou que a maior parte dos mal-entendidos tinha sua origem na incompreensão causada pela diversidade de línguas e viu, na criação de um idioma único, unindo os povos, um meio de estabelecer um sentimento fraterno entre as pessoas de todas as raças, nações ou religiões.

Começou a sonhar com uma língua neutra para ser ensinada a todos os povos como uma segunda língua. Descobriu que acrescentando prefixos e sufixos às raízes latino-germânicas poderia formar novas palavras, a língua não precisaria ter um vocabulário imenso e isso facilitaria o aprendizado.

Seu pai decidiu que ele seria médico e o enviou à Universidade de Moscou. Por essa ocasião, os primeiros manuscritos contendo o esboço da nova língua foram destruídos pelo pai julgando que faria um bem para o filho, pois achava que a "língua internacional" lhe perturbaria o juízo e prejudicaria os estudos.

Ao retornar a Varsóvia, após a decepção, resolveu de novo trabalhar no seu projeto. Reconstituiu tudo sem dificuldades. Aproveitou do projeto original o que lhe parecia bom, descartando o que não tinha solidez. Acrescentou novas idéias e descobertas, utilizou raciocínios novos e descobriu que a atitude do pai fora um estímulo à realização de um trabalho mais completo e aperfeiçoado.

Em 1885, já médico, especializou-se em oftalmologia, montando um consultório em Varsóvia. Conheceu Clara Zilbernik, mais tarde sua esposa, mãe de seus 3 filhos e grande colaboradora na divulgação do Esperanto.

O “Primeiro Livro” surgiu em 26/07/1887, em russo, usando o pseudônimo "Doutor Esperanto". Contou com o auxílio financeiro do pai de sua noiva para a publicação. Foram feitas edições em outras línguas, surgiram os primeiros adeptos, clubes para ensino da língua, revistas e livros.

Partiu para a pátria espiritual. no dia 14/04/1917, com apenas 57 anos, de uma doença cardíaca adquirida depois do início da 1ª guerra

Desde o 1º Congresso Mundial de Esperanto, ocorrido em 1905, em Boulogne-sur-Mer, na França, o interesse pela Língua Internacional tem crescido muito e o idioma expande-se por todos os continentes.

Estima-se que no mundo inteiro já existam milhões de pessoas que aprenderam o Esperanto.A semente lançada por ele germinou e agora a árvore dá frutos. O movimento esperantista prossegue sempre com sua mensagem de confraternização universal.

 

 

voltar ao topo


 

NOTÍCIAS
- DO CEBM

•  Você já visitou nosso site? Procure-o no endereço www.bezerramenezes.org.br , e você poderá ter o Centro em seu lar durante 24 horas. Navegue em suas páginas, você continuará a receber o conforto que em nosso Centro recebe. Encaminhe sugestões para que possamos melhorar o atendimento aos que nos procuram.

•  Prezado irmão associado: “ Para os trabalhos espirituais da Casa, basta a união de pensamentos. Para os trabalhos materiais, basta a união nos pagamentos” Coopere com nossa casa mantendo em dia suas mensalidades. Delas dependem nossas tarefas assistenciais e materiais.

•  O Departamento de Serviço de Assistência e Promoção Social Espírita continua realizando a campanha do leite em pó e alimentos não perecíveis . Colaboremos.

•  Graças à sua cooperação, as obras de conservação do Centro tiveram início, mas, para que possam ter prosseguimento, nossa Casa continua a contar com a ajuda de seu coração amigo.

•  A Livraria está oferecendo todas as obras com preços promocionais. Aproveite a oportunidade para ler e presentear um livro espírita nesse Natal.

voltar ao topo


 

PARA LER REFLETIR

- “Necessitas de serenidade a cada passo. Serenidade para discernir, atuar e viver. A vida é galopante e muda os seus cenários a cada minuto, exigindo permanente serenidade a fim de não esmagar as pessoas. Quem se aflige, e tenta seguir a velocidade ciclópica destes dias, arrebenta-se, porque sai de uma para outra situação com muita rapidez, sem mesmo tempo para adaptação na fase anterior.” (Joanna de Ângelis)

- “Irradia a claridade da tua fé, através do teu sorriso, das tuas palavras, da tua atitude perante a vida. o mundo necessita de luz para superar as sombras dominantes. Distende a tua presença confiante e rica de luminosidade, auxiliando os tímidos e desanimados, os que caíram e os revoltados.

- A luz atrai sempre, enriquecendo de beleza. Não deixes que se apague essa estrela, porque haja fatores dissolventes e agressões em volta. Deixa-a brilhar, apontando rumos ditosos para os que anelam por uma oportunidade de realização.” (Joanna de Ângelis)

- “Nas obras do bem a que nos devotamos, estimamos, acima de tudo, os métodos e processos que se exteriorizam do nosso modo de ser e de entender, porquanto, se o serviço evolui ou se aperfeiçoa, refletindo o pensamento de outras personalidades acima da nossa, operamos, quase sem perceber, a diminuição do nosso interesse para com os trabalhos iniciados”. (Emmanuel)

- “Prega as revelações do Alto, fazendo-as mais formosas e brilhantes em teus lábios; insta com parentes e amigos para que aceitem as verdades imperecíveis; mas, não olvides que a candeia viva da iluminação espiritual é a perfeita imagem de ti mesmo”. (Emmanuel)

voltar ao topo



 

Centro Espírita Bezerra de Menezes © 1912 - 2006. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rafael Santos