O Boletim - Dezembro/2004 - ANO XLVII - Nº 565


  

Bezerra convida-nos à reflexão

Na Tarefa Redentora

Chamados ao estudo do Evangelho à luz sublime e consoladora do Espírito de Verdade; iluminados pela Revelação Divina que emana de mais alto; organizando-nos, carinhosamente, nos rumos para a jornada ao País da Luz, sob as vistas complacentes dos Mentores Espirituais que se dispõem, abnegadamente, a servir e orientar, somos hoje, na Terra e no Plano Espiritual, um número realmente avantajado de espíritos que já possuem o grande conhecimento da Verdade que nos visita, plenos de responsabilidades e dispostos não só a admirarmos o conteúdo sublime desses ensinos mas, principalmente, a trabalhar em benefício da construção do Reino Divino em nós e na Terra inteira.
Para isto, somos levados à tarefa redentora junto aos irmãos necessitados e essa tarefa se desdobra em todas as horas do dia e também durante o repouso noturno, quando se trata de irmãos encarnados.
Visitados e orientados, apresentamo-nos face ao Senhor regiamente abençoados, nossas vidas conduzidas sob a bênção das experiências santificadoras, aos estudos que disciplinam e principalmente banhamo-nos, festivamente, nas luminosidades permanentes da Luz Viva que nos ampara sempre.
No campo da Doutrina Espírita, onde permanecemos como aprendizes humildes e servidores fiéis, cumpre-nos, principalmente, estarmos de vigilância no posto que nos foi designado de mais alto.
Não nos adiantam os compromissos vários em diversos setores mas o trabalho edificante, permanente e fiel, executado com amor e especialmente o exemplo sem par no dia–a-dia, como servos que se comprazem em suas dignas atitudes, reverentes e humildes, num preparo constante para as horas de maiores necessidades.
Abençoados seremos e a tarefa redentora em nossas mãos nos trará, por certo, multiplicadas luzes que nos conferirão maiores possibilidades, melhores aquisições, oportunidades valiosas.
Avancemos para diante, procurando Jesus, nosso Modelo Divino, e situando-nos junto ao Seu Coração amorável, trabalhemos unidos na grande obra salvadora do mundo todo.

Bezerra de Menezes
FONTE: PAIVA, Maria Cecília. Mensagens de Luz, Paz e Amor. Editora ECO, 1969. p.41

voltar ao topo   


EDITORIAL

O ano de 2004 está terminando e foi marcado por vários acontecimentos. E agora é chegada a hora de revisarmos o que fizemos, pensamos e dissemos. É necessário parar na desabalada corrida da falta de tempo para revisar, reconsiderar, repensar Jesus. Voltar aos seus caminhos e repercorrê-los , com reflexão e ternura, é tarefa inadiável. A proximidade do Natal, que tanto nos enternece, convida-nos a acuradas reflexões em torno do nascimento de Jesus e da grandeza da Sua Mensagem. Em cada ano, o Natal nos traz de volta a doçura da esperança e a nostalgia das lembranças que o tempo não consegue anular. È tempo de repensar nas coisas e nas pessoas a quem somos gratos e devemos perceber as melhoras em nossos relacionamentos no lar, no trabalho, na Casa Espírita, enfim, em nossa vida cotidiana. O Centro Espírita Bezerra de Menezes procurou proporcionar, ao longo desse ano, os meios para colocarmos em prática o grande objetivo de todo cristão: o amor a Deus, o amor a si mesmo e ao próximo – a fraternidade. Que a nossa mensagem chegue a cada coração e que contribua para que possamos viver da melhor forma possível a fim de que nossos passos vacilantes sejam mais seguros no futuro. Esperamos que todos tenham um ótimo final de ano com Jesus-Cristo e que a paz do Criador nos acompanhe agora e sempre, para que não percamos jamais a esperança de um mundo melhor e de dias renovados nos caminhos da espiritualidade.
“Natal!... O Céu e a terra em sintonia!... Volve Jesus dos sóis a buscar-nos no chão, para viver conosco, nos refolhos do próprio coração.” (Maria Dolores)

voltar ao topo      



CONVITE DE NATAL

Enquanto a glória do Natal se expande
Aqui, ali, além,
Toda a Terra se veste de esperança
Para a festa do bem!...

Natal!... Refaz-se a vida, alguém ressurge,
Nos clarões com que o Céu se te anuncia...
É Jesus a pedir-te que repartas
Do teu pão de alegria.

Para louvar-Lhe os donos da Presença Divina,
Não digas, alma irmã, que nada tens;
A riqueza do amor, no coração fraterno,
É o maior dos teus bens...

O deserto se esfalfa em longa sede,
Na solidão em que se configura...
Se chega simples fonte,
Ei-lo mudado em flórida espessura!...

Ninguém sabe tão bem, senão aquele
Que a penúria desgasta ou desconforta,
O valor de uma veste contra o frio,
O tesouro de um prato dado à porta.

A migalha de foca é a base do Universo,
Desde a furna terrestre à estrela mais remota!...
Todo livro se escreve, letra a letra,
Compõe-se a melodia, nota em nota...

Alma irmã, no serviço da bondade,
Jamais te afirmes desfavorecida...
Pobres sementes formam ricas messes!
Assim também na vida...

O cobertor, o pão, a prece, o abraço,
Uma frase de paz e compreensão
Podem criar prodígios de trabalho,
De reconforto e de ressurreição! ...

Natal!... Dá de ti mesmo o quanto possas,
No amparo à retaguarda padecente;
Toda bênção de auxilio é socorro celeste,
Que Deus amplia indefinidamente.

Natal!... Recorda o Mestre da Bondade!...
Ele, o Cristo e Senhor,
Acendeu sobre a Terra o sol do Novo Reino
Com migalhas de amor!...

Maria Dolores

Fonte: Antologia da Espiritualidade. 4.ed. FEB, 1991. p.111

voltar ao topo   


LIVRO DO MÊS

Pelos Caminhos de Jesus.
Pelo Espírito Amélia Rodrigues.
Psicografia de Divaldo Pereira Franco.

Compõe-se de narrativas evangélicas, banhadas pela luz das palavras do Mestre Incomparável, verdadeiros poemas de ternura, apresentando-nos os colóquios amoráveis de Jesus com os Seus discípulos e com o povo, nas regiões verdes e ensolaradas da Galiléia. No prefácio da obra, a autora esclarece que “resumiu, em 25 capítulos, algumas experiências vividas e retiradas dos ensinamentos sábios do Mestre Incomparável, a fim de contribuir, de alguma forma positiva, em favor do homem moderno, superconfortado sob alguns aspectos e noutros, inquieto, atribulado, senão infeliz.”
AMIGO LEITOR: Este é um livro notável! Através destas inesquecíveis passagens da vida de Jesus iremos seguir pelos Seus caminhos, alcançando, passo a passo, a grande meta que é a felicidade integral.

voltar ao topo   


VULTO DO ESPIRITISMO

Yvonne do Amaral Pereira: A mediunidade gloriosa

Yvonne do Amaral Pereira nasceu em Valença (RJ), em 24-12-1900 e desencarnou em 9-3-1984, na cidade do Rio de Janeiro. Psicógrafa de rara sensibilidade, recebeu obras dos Espíritos Léon Tolstoi, Bezerra de Menezes, Camilo Castelo Branco e Charles.
Seu primeiro livro psicografado foi Memórias de um Suicida. Recebeu-o de Camilo Castelo Branco em 1926, mas só foi editado em 1956.
Yvonne era dotada de vários tipos de mediunidade - psicografia, psicofonia, efeitos físicos, mediunidade de cura - que exerceu durante cinqüenta e quatro anos e meio, dando receitas homeopáticas e aplicando passes, dedicando-se também com total abnegação à cura de obsessões.
Certa feita ela disse: "Senti sempre um grande amor pelos Espíritos obsessores e sempre os tive como amigos. Fui correspondida por eles e nunca me prejudicaram."
Toda sua infância foi povoada de grandes fenômenos espíritas. Muitos deles estão narrados em alguns livros, dos quais podemos citar Recordações da Mediunidade e Devassando o Invisível.
O que marcou muito a sua vida foi a visão do Espírito de seu pai na vida passada e que a acompanhou durante a infância. Outro Espírito que via e que definiu bastante sua vida e seu caráter foi Roberto de Canallejas. Via-o desde pequena e conversava muito com ele. Isto começou aos quatro anos. Quando esses Espíritos se ausentavam, principalmente o pai, sofria muito. Chorava, tinha crises nervosas por causa da grande saudade que sentia.
Recebeu importante mensagem de Roberto de Canallejas, sobre o suicídio, dizendo que ela tinha uma tarefa entre suicidas e que trabalharia com ela. "Em breve - disse-lhe - vou escrever um artigo sobre a história de amor de Roberto e Yvonne. Já estiveram juntos em outras encarnações." Sua história faz parte do livro Um caso de reencarnação - Roberto de Canallejas e Eu, da Editora F. V. Lorenz, do Rio de Janeiro.
Yvonne veio de uma existência em que foi suicida. Daí sua afinidade com Camilo Castelo Branco desde os doze anos. Somente não sabia que era ele. Mais tarde, quando conheceu o seu retrato, viu que era o famoso escritor português Castelo Branco, autor de Amor de Perdição.
Na entrevista, ela diz que quem quiser conhecer bem a Doutrina Espírita deve estudar Kardec, Léon Denis, Gabriel Delanne e Ernesto Bozzano.
Sobre seu livro Memórias de um Suicida, retrata o Umbral, particularizando os casos de suicídio. Na opinião de Chico Xavier, é a obra que melhor retrata a profundeza das regiões umbralinas. Há um capítulo que fala sobre a existência de uma Academia de Esperanto no Além, que não se localiza nessas regiões inferiores.
Yvonne via cenas do mundo espiritual. Segundo ela, uma das piores foi a de um Espírito vivendo o pesadelo de querer fugir de um trem e não poder; querer afastar aquela visão sem conseguir e ser colhido pelo trem. É o gênero de suicídio pior que todos! É o que mais choca, mais desesperador para o Espírito.
O ato do suicídio ficou na mente do Espírito e se repete, indefinidamente, até que passe o pesadelo. A pessoa quer fugir e não pode, vê-se aos pedaços e ao mesmo tempo se sente viva. Como afirma Yvonne: "É um caso desesperador que o Dante se esqueceu de narrar."
Quando estava psicografando o livro Amor e Ódio, viu o Espírito Frédéric Chopin, que depois desapareceu.
Outros livros por ela psicografados: Ressurreição e Vida, de Leão Tolstoi: são várias histórias, que nos levam às paisagens e aos costumes imperantes na velha Rússia dos Czares; Sublimação: também de Tolstoi, juntamente com Charles, oferece-nos histórias comoventes, nas quais o suicídio é focalizado em suas implicações morais e suas conseqüências aterradoras, refletindo-se na vida de Além-Túmulo; A Tragédia de Santa Maria, de Bezerra de Menezes: faz com que melhoremos nossas atitudes na vida comum; Nas Telas do Infinito: onde há uma história narrada por Bezerra e uma novela transmitida por Camilo Castelo Branco; os livros de Charles - Amor e Ódio, Nas Voragens do Pecado, O Cavaleiro de Numiers e O Drama da Bretanha. Esses três últimos romances nos oferecem a triste história de corações em luta redentora. Há juras de amor, ódios e traições e ensinos preciosos. Mostram que a Lei de Causa e Efeito é inexorável, dando a cada um segundo suas obras, e a todos ligando por vínculos que o tempo e o espaço não podem destruir.
No final da entrevista a Jorge Rizzini, ela assevera, entre outras coisas, o seguinte: "A Doutrina Espírita é, de fato, o Consolador. Seja qual for o problema que nos aflija, encontraremos nessa doutrina a solução, o grande consolo para a nossa vida e forças para continuar a nossa existência no caminho aconselhado pelo Evangelho. Eu aconselharia aos jovens a amar muito a mediunidade e a ter cuidado com ela; não forçar, de forma alguma, o seu desenvolvimento. A mediunidade tem de vir naturalmente, sem a pessoa forçar. Preparar a mediunidade com a prática do bem, da caridade, o estudo, e deixar que ela se apresente naturalmente."

Fabiano Possebon

(Excertos da matéria publicada no Reformador. Abril de 2001. p 120-1)

voltar ao topo   




LEMBRETE FRATERNO

Reflexões em Dezembro
“E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham , nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda sua glória, se vestiu como qualquer deles.”
Jesus (Mateus 6: 28 e 29)

Existe uma especial mística em dezembro.
É evidente que o aniversário de Jesus influi nesse ambiente, é claro que a presença do Espírito do Natal mexe com os sentimentos e a percepção de cada um de nós, de uma forma ou de outra, nos conduzindo à reflexão.
Certa vez, conheci uma pessoa que se dizia triste e deprimida no Natal, sem saber explicar porquê... Achava que era uma questão de lembranças da infância, do ambiente de sua família, era a mescla de sentimentos que não sabia definir.
Não sei se encontrou a resposta para seu estado de espírito natalino, mas se pudesse rever esse amigo, certamente lhe perguntaria se ele tinha exata consciência do sentido do Natal... Acho que esse é o problema dos que se sentem deprimidos nessa época.
Jesus se aproximou de nosso planeta para trazer a mensagem eterna de compreensão, tolerância, paz, perdão e vivenciou isso como o melhor exemplo para nós. Mas o que vemos nessa época?
Pessoas se acotovelando em lojas, disputando espaço em liquidações, lembrando de presentear aqueles que têm as suas simpatias e deplorando os que não as tem, avaliando méritos pelos preços dos presentes.
Vemos pessoas fazendo estoques de bebidas, comidas, esquecendo-se da frugalidade ensinada pelo Mestre e mais, esquecendo-se daqueles que não podem desfrutar dessas comidas e bebidas e que são, justamente, os mais lembrados pelo Nazareno.
Muitos se apartam do Espírito do Natal, porque estão preocupados com a exteriorização da festa e não entendem a simplicidade da comemoração e vemos os comerciantes expressarem contentamento ou desânimo, dependendo se o Natal este ano está melhor ou pior que o ano passado...nas vendas.
O Natal deve e precisa ser comemorado. É a forma com que expressamos o contentamento pela vinda do nosso Amigo Maior, mas que seja de uma forma coerente com a lição que Ele nos legou. Não uma festa de ostentação, mas de reflexão, não um banquete faustoso, mas uma ceia de congraçamento, de reunião entre parentes e amigos, de alegria.
Não um festival etílico, muitas vezes com deploráveis conseqüências, mas uma reflexão sobre o nosso papel na vida, como estamos indo, uma viagem ao nosso “eu”. Tenho certeza de que lograremos uma aproximação muito mais efetiva com Jesus, do que se utilizarmos o vinho que nos embota os sentidos.
Em muitos lugares, a tradição pede que o chefe ou o líder da família faça uma prece na ceia de Natal. É um momento solene dentro da alegria da noite, e todos são levados a realizar o verdadeiro sentido de estarem ali.
Conheci lugares, onde a pobreza das famílias não permitia a compra de presentes caros, então cada um fazia, com as mãos, alguma coisa para presentear seus afetos e isso elevava, em muito, a intenção do momento.
Lembro-me de um episódio em que uma garotinha de seis anos fez umas garatujas em um papel e entregou para sua mãe. Ao ser perguntada sobre o desenho, ela respondeu que era um beijo no menino Jesus e que os rabiscos eram ela debruçada sobre a manjedoura Dele.
Tenho certeza de que, naquele Natal, nenhuma pompa ou riqueza, por mais expressiva que fosse, conseguiu emocionar a Jesus, mais do que aquele desenho rabiscado.

Assaruhy Franco de Moraes

voltar ao topo   




PÁGINA AO JOVEM

SEGUIDORES DE JESUS

Quando a chama do Evangelho crepita no coração de alguém, quando a alma é invadida por um desejo de seguir o Cristo, quando há renúncia das coisas fúteis da vida, quando já é possível esquecer-se e pensar no outro, nasce um idealista!
Se esse é o teu caso, sê bem-vindo à Seara do Senhor!
Entretanto, rogue ao Criador para que possas perseverar sem que te desvies.
Se há felicidade verdadeira no serviço cristão, o testemunho é diretamente proporcional às lições apreendidas.
Por isso prepara-te pois:
As críticas te buscarão incessantemente; muitas criaturas enfermas procurar-te-ão para entravar o teu progresso e a obra que executas; tua alma será invadida várias vezes pela solidão e poderás perder a companhia daqueles que te prometeram fidelidade mas que, em verdade, não estavam prontos para a tarefa; outras mentes enfermas desejarão fazer com que o desânimo te acompanhe, como sombra de angústia, sob o sol do testemunho; talvez teus familiares digam palavras que se converterão em cravos pontiagudos estraçalhando-te o peito, fragilizando-te no desejo de cooperação superior.
Com efeito, irmão querido, fortalece-te!
Estuda, vigia, ora, trabalha e luta para que teu idealismo cristão seja a prova viva de que tua juventude não é apenas promessa, mas, realização!
Trabalha a fim de demonstrares que é possível dissipar as trevas da inércia com a luz da produção cristã.
Se guardas compromisso com o ideal do Cristo esteja pronto para a batalha e aguarda a cruz do sacrifício que te conduzirá ao paraíso da consciência tranqüila, conquistada pelo trabalho redentor.
E aqueles que ainda não confiam em ti, por alegarem inexperiência de tua parte, no trato das questões espíritas, compreende-os, pois que podem estar medindo-te com os dissabores e irresponsabilidades daqueles que te precederam. Tolera-os e trabalha. Os anos hão de falar por ti, e desde que permaneças nas palavras do Senhor, todos, necessariamente, te reconhecerão como fiel, incansável, e respeitável seguidor de Jesus.

Wilson Ferreira de Mello

Fonte: Emanuel Cristiano (médium).Cartas ao Moço Espírita, 2002, p. 69

voltar ao topo   




NO MUNDO DO ESPERANTO

“La paco de Jesuo estu en la koroj de niaj karaj gefratoj”

O Mundo do Esperanto enche-se de alegria e festeja, no dia 15 de dezembro, a data de aniversário de nascimento de Zamenhof, o criador do Esperanto, esse importante instrumento de alcance da fraternidade universal. Nosso agradecimento a Deus por essa dádiva à humanidade. “Obrigada, Senhor, ajude-nos a aprender e a divulgar sempre o Evangelho de Jesus, a Doutrina Espírita e o Esperanto...”
E no dia 25? Como devemos comemorar o Natal?
As pessoas preparam a ceia, ornamentam árvores de Natal, compram presentes, enviam saudações, etc.
Mas nós sabemos que o verdadeiro Natal deve ser uma festa espiritual.
Jesus nasceu há 2000 anos, mas quando ele, na verdade, nascerá dentro de nós?
Isso acontecerá quando vivermos de acordo com seus ensinos, quando seguirmos seus passos, quando nos conscientizarmos de que somente Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida... se nós festejarmos nosso Natal internamente, nova luz de compreensão iluminará nossa vida por causa desse reencontro com o Salvador!
No Rio de Janeiro dezembro também é tempo de outra festa esperantista. Como acontece sempre na primeira semana de dezembro, os esperantistas espíritas do Rio de Janeiro terão mais um dia de confraternização por ocasião do seu décimo encontro.
Se você é esperantista ou simpatizante do Esperanto, venha participar, a palestra será em português para que todos, mesmo os que a inda não fizeram o curso básico de Esperanto, possam compreendê-la.


X ENCONTRO ESPÍRITA ESPERANTISTA DO RIO DE JANEIRO
LOCAL: FEERJ – R. Coronel Gomes Machado, 140. Niterói (próximo à Estação das Barcas)
DIA E HORA: 7 de dezembro, de 9 horas às 17 horas.
TEMA: Esperanto: Bênção de Jesus para Unificar os Corações
PALESTRANTE: Hélio Ribeiro Loureiro
Pela manhã haverá debates do tema, conversação e curso de introdução ao Esperanto (à escolha de cada um)
À tarde teremos a palestra e momentos de arte, com músicas e poesias em Esperanto.

        GOJAN KRISTNASKON! (FELIZ NATAL!)
           BONAJN FESTOTAGOJN! (BOAS FESTAS!)

Maria Ramos

voltar ao topo   




NOTÍCIAS:

1. Visite o site www.bezerramenezes.org.br, onde você poderá ter o Centro em seu lar durante 24 horas. Navegue em suas páginas, você continuará a receber o conforto que em nosso Centro recebe.

2. Nossa Casa continua a contar com a ajuda de seu coração sempre amigo. Este mês o Departamento de Serviço de Assistência e Promoção Social Espírita está realizando a campanha do leite em pó. Colaboremos.

3. Em dezembro O Centro Espírita Bezerra de Menzes realizará Encontro de Trabalhadores - 2004 abordando o tema “O Cristo Espera por nós”. Você, que é diretor, dirigente de departamento, trabalhador da instituição, venha estar conosco passando momentos de confraternização e congraçamento de almas. O dia e o horário serão posteriormente informados, aguardamos sua presença amiga.

4. Durante o mês de dezembro, as terças, quintas e domingos, após as Reuniões Públicas, nossa Casa estará realizando seu bazar anual. Visite-o.

5. Se você está interessado em fazer parte do nosso Quadro Social, procure-nos que informaremos as normas estatutárias que regulamentam o quadro associativo.

voltar ao topo   




PARA LER REFLETIR

“Poderemos “agir no processo” de formação e progresso das criaturas, nunca “forçar o processo” ou criticar seu andamento. "

“Na questão do amor, vale considerar que, quanto mais soubermos, mais teremos para dar; quanto maior o discernimento, maior será a nossa habilidade para amar; quanto mais compartilharmos o amor com os outros, mais estaremos alargando a nossa fonte de compreensão a respeito dele."

"A pretensão do orgulhoso leva-o a acreditar que existe uma “santidade desvinculada da realidade humana”, ou seja, organizada e estruturada de forma diferente dos princípios pertencentes à Natureza."

(Hammed – Espelho d'Água)


voltar ao topo   




Centro Espírita Bezerra de Menezes © 1912 - 2005. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rafael Santos